[SERIES] LES REVENANTS : 1×02 – “Simon”

The Revenants

Um episódio que não respondeu dúvidas antigas e criou novas.

Após um piloto com acumulo de informações e dose de suspense na medida, o segundo episódio de “Les Revenants” foi meio… cuén. Nele, o foco foi contar a história do ex-noivo da Adele, Simon: O cara descobriu que seria pai na manhã de seu casamento e morreu no mesmo dia, enquanto a noiva o esperava no altar. De sua morte ao dia atual da história, passam-se 10 anos! Pelo piloto, já dava pra sacar que a filha de Adele era dele também pelo fato ter se calado de imediato na hora que a ouviu chamar a mãe pelo outro lado da porta. O atual noivo da mulher é delegado de polícia e, por ironia do destino (Ou dos roteiristas), dá de cara com o fantasma mais real já vira após o morto muito louco ser flagrado por câmeras de segurança ao quebrar a cara de um comerciante e, consequentemente, parar na sala do policial para se explicar. Sua assistente tira a digital do desordeiro e diz que o cara consta como morto há 10 anos, gerando uma confusão (E até certo pânico) na cabeça do delegado. Entretanto, toma uma atitude taxativa: Prisão no cara até ter alguma pista que solucione a situação. Já frequentei alguns casamentos com presença de políticos, (sub)celebridades e pessoas de certo destaque público mas… Casamento com convidado morto? É, nunca. Espero que o Simon receba o convite.

Seguindo com a protagonista do outro episódio, uma confissão: Alguém mata a Camille de novo? SÉRIO. Baita mina chata do caralho! Ela anda revoltada por não saber o que está acontecendo e decide dar uma de louca no quarto da irmã. Aliás, a Lena foge da irmã como se ela tivesse contraído o vírus da ebóla… Não tá certo. Não sei como ninguém nesse seriado pediu pra ver algum dos “mortos-vivos” pelado! Pensei a respeito disso ontem: Se a pessoa passou tanto tempo morta, o corpo deveria dar algum tipo de sinal de degradação, concorda? Já que no rosto não aparenta, BORA CAÇAR O TESOURO! Hahaha, não. Finalizando: Ela encontra um moleque que não a reconhece, volta pra casa chorando e ouve da irmã que, por acaso, conheceu alguém hoje que também devia estar morto. Papo leve, pra dormir gostoso.

O segundo episódio foi responsável por conhecermos melhor o cara que esfaqueou a garçonete debaixo da ponte. Como suspeitei, ele também saiu debaixo da terra pra dar um rolê e, como todo “bom filho”, retornou à casa. O que não esperava é ser recebido pelo irmão com uma bela duma pázada (Isso é uma palavra!?) na jugular! Ao retomar a consciência, corre atrás do gordinho e “retribui a gentileza”. Aqui em casa, a gente se abraça quando se vê. Cada família tem um jeito de se entende, né? A deles é mais… rústica. Legal, deve doer, mas não condeno. Após o segundo retomar a consciência, eles conversam e o morto entende sua real condição. Diferente de Lena, o irmão do esfaqueador abraça o irmão, emocionado. Família extrema, essa. Fechando esse núcleo, um dos maiores absurdos do seriado até aqui foi o fato da mulher esfaqueada ser encontrada com vida. Até cachorro já tinha lambido aquele presunto. Ficou confuso: Não sei se ela morreu ou se tava só ensaiando.

Finalizo contando a trama do menino-Toshio: Além de não abrir a boca o episódio inteiro, o fdp pula da janela do apartamento de Julie, situado em SEI LÁ QUE ANDAR mas ainda assim alto (Lembram a cena que ela vê ele pela janela, a primeira vez? Então). Mais bizarro que o fato do moleque não morrer na queda (Ou do corpo não emitir nenhum som ao chegar ao solo) é o da solteirona não gritar/descabelar/correr/voar pra tentar socorrer o retardado juvenil! Não sei se ela calou pra evitar que a vizinha carente corresse pro corredor ou se o pânico foi tamanho que a voz falhou. A cena seguinte traz ela no térreo, procurando o corpo. Amigos, é sério: Se alguém pula de uma janela/ponte na sua frente, você não vai correr pra ver o quanto a pessoa se estabacou lá embaixo ANTES  de descer?? A Julie não…! A Julie é dessas que gosta de suspense. Aposto que ela acredita que, dado o tempo que o moleque não abre a boca ele vai dizer algo MUITO relevante como quem os Beastie Boys perseguem no clipe “Sabotage” ou o final da “Caverna do Dragão”. Se o moleque simplesmente arrotar, sinto que ela vai ficar muito decepcionada. Entretanto, ela foi à polícia verificar se alguém procurou a criança e percebeu que não. Tentou falar pro moleque que ele teria que vazar, que lá não tinha lugar pra ele e que ela não tinha brinquedos (Pra ELE brincar porque, né? Solteirona… ‘Cê tá ligado! Hahahaha). A conversa acaba quando ele abraça ela e ela fica tocada. Sei lá, eu teria descido a porrada se ele tentasse me abraçar. Moleque escroto do caralho! Fica olhando feio, não abre a boca e, quando pode, treina o suicídio? Sifudê! Tô fora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s