[SERIES] GREY’S ANATOMY :: 9×17/18 – “Transplant Wasteland” e “Idle Hands”

Grey's Anatomy

Uma mudança mais eficaz que o LODOX.

Começo pedindo desculpas pelo atraso de reviews de “Grey’s Anatomy”, justificando o erro : “Game Of Thrones”. Peguei a série desde a primeira temporada pra assistir e viciei. Não consegui ver mais nada. Pensei em começar escrevendo que “demorei tanto pra voltar a escrever que o hospital até mudou de nome” (O que não seria de todo errado), mas voltei atrás e pensei num subtítulo mais “decente”. Comecemos analisando o impacto da nova direção que o Seattle Grace tomou: Ao ser nomeado novo Chefe do hospital, Avery recebe negatividade por todos os cantos. Ninguém leva fé que o cara possa fazer a diferença pelo lugar e, os novos milionários, se sentem “injustiçados” por correrem contra o tempo para salvar o hospital e no fim das contas perder a gestão para um residente bem mais novo. Entretanto, o cara mostra a que veio e, pouco a pouco, demonstra que o hospital estará seguro enquanto coordenar o local. O ponto alto do décimo sétimo episódio foi, sem dúvida, quando Jackson disse numa reunião com os médicos que eles construiriam um hospital novo, concluindo que até o nome mudaria pra surtir mais efeito simbólico: O Seattle Grace Hospital sai de cena para entrar o Grey Sloan Memorial Hospital, em homenagem a Lexie e Mark mortos no acidente de avião. Por essas e outras surpresas que “Grey’s Anatomy” exprime, episódio a episódio, um tipo de qualidade único e específico em qualquer seriado norte-americano que você assista por aí. Eles acertam em enredo, personagens, trilha-sonora e faz o público perdoar com facilidade até as situações mais ridículas que alguns casos apresentam (A da tiazinha no pole dance e do leão no meio da rua foram foda de engolir… Mas eu superei).

O que é o casal Christina e Owen? Provavelmente, nem eles saibam. O que é certo é que a relação “destrói” a força da personagem na trama. Legal é ver uma Yang badass que causa calafrios nos internos de cada corredor do hospital! Agora essa molenga não dá liga. A atitude mais “Yang” desses últimos episódios foi ela repassar a verba destinada ao estudo de um médico cuzão para o projeto da Bailey, pelo simples motivo do cara ser um baita… cuzão, com ela. Por falar na Bailey, num desses dois episódios ela reclamou pro Richard algo que tem reclamado com certa frequência durante esses quase 10 anos de “Grey’s Anatomy”: Ela sempre se viu ocupando o cargo de Chefe do hospital. Quando se analisa a história dos personagens, é difícil pensar em alguém mais competente de fato pra ocupar o cargo! Torço pra que, até o fim do seriado, essa vontade seja concretizada e a médica recompensada por todo esforço que deu pra manter o local funcionando. Apesar dela ter caído para um núcleo mais cômico com o passar dos anos, o público segue ciente do que esta “velha nazista” é capaz.

Foi engraçado assistir uma Meredith neurótica quanto ao feto. Com certeza ela não assiste “Game Of Thrones” senão, nascer com rabo é a última probabilidade que ela dará ao filho em seu ventre. O “apoio” que o Karev dá pra ela também valeu! Aliás, o Karev anda todo engraçadão nesses últimos episódios. As peças pregadas no ficante da Jo foram boas. O cara só alimentou a rivalidade com Alex ao garantir no fim do episódio que enquanto ele pensa em novas brincadeiras pra constrangir o negão, ele vai comer a médica no banheiro do bar (Comer a Jo no Joe’s? Merecia medalha de trocadilho no Foursquare).

Nesse meio tempo, a April encontrou um paramédico que nunca transou e não é viado (Só em Grey’s Anatomy). Aí mentiu pra ele dizendo que era virgem também mas tá no mó dilema por começar uma relação mentindo. Do jeito que ela é, esse namoro vai terminar antes de começar! E outra: A analogia sexual com parque de diversões serve quando se tem 12 anos. Agora esse bando de marmanjo tratar o kama sutra como looping de montanha-russa foi digno de acelerar pra cena seguinte… April no próximo acidente!

Por fim mas não menos importante, Callie e Arizona continuam na busca de uma maneira que mantenha “a chama de seu relacionamento acesa” (Falei bonito?). A Callie mudou muito por causa da esposa pois, em outros tempos, já teria ciscado em outra horta sem nem repensar atitude! Episódio a episódio, a Arizona se adapta a perna mecânica e Callie, ao novo panorama que sua vida virou. No fim, elas percebem que são elas por elas mesmo. Aliás, alguém aí sabe por onde a filha delas ou do Sheppard? Eles andam tão preocupados que com o hospital que esqueceram do leite ninho da molecada. Não dá. Hahaha!

Confira abaixo a promo do próximo episódio:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s