[FILMES] CINEMA: Conheça os 5 principais lançamentos de Abril/2017!

d8b9d13086fd78d162a7f0a7e664472f

Você pode não ter percebido, mas entramos na última semana de Março e com ela, o planejamento para Abril se inicia. Cinéfilos como eu já ficam de olho no que o universo da telona reserva para o quarto mês de 2017. Como todo mês, tem muitas estreias agendadas mas decidi separar os 5 blockbusters que prometem encher os cinemas de todo o país. E tem de tudo: romance, desenho, ação…

Confira a a seguir os principais lançamentos de Abril/ 2017:

A CABANA

Baseado no best-seller de maior sucesso dos últimos tempos, acompanharemos a jornada de Mack Allen Phillips (Sam Worthington), que tem a filha mais nova de desaparecida durante uma viagem em família e, tristemente, encontra evidências de que a menina foi brutalmente assassinada numa cabana abandonada. Após quatro anos vivendo em profunda tristeza, Mack recebe um bilhete misterioso, aparentemente escrito por Deus, convidando-o a retornar à cabana onde aconteceu a tragédia. Não li o livro mas todos falam que essa história é animal! se você está tão curioso quanto eu, anota aí: você está convidado para adentrar à Cabana a partir do dia 06 de Abril.

OS SMURFS E A VILA PERDIDA

A nova aventura dos seres azuis acontece na Vila dos Smurfs, quando Smurfette e os amigos Gênio, Desastrado e Robusto partem atrás de novas aventura rumo a uma tal de Vila Perdida. Mas para isso, terão de passar pela Floresta Proibida, que abriga seus perigos- um deles, o desastrado Gargamel. Dublado por Julia Roberts com música tema cantada por Meghan Trainor, os filhos do Papai Smurf entram em cartaz dia 06.

VELOZES E FURIOSOS 8

O oitavo filme da franquia mais turbinada do cinema traz o, já icônico, Dom Toretto (Vin Diesel) e sua equipe arrepiando as pistas como de costume, naquelas máquina tunadas até a gasosa até a chegada da misteriosa Cipher (Charlize Theron) mexer com Dom a ponto de convencê-lo a voltar a vida de fora da lei. Agora, o time precisa acertar as contas com Dom enquanto tenta descobrir os motivos reais dele ter traído a confiança de sua família. Com um elenco de peso (Vin Diesel, Michelle Rodriguez, Jason Statham, The Rock e a “Furiosa” Charlize Theron), o novo longa da franquia “entra na corrida” pelo topo das bilheterias a partir do dia 13.

PAIXÃO OBSSESSIVA

Este drama conta a história de Tessa Connover (Katherine Heigl) conformada com o fim de seu matrimônio e menos ainda com o fato do ex-marido estar prestes a se casar novamente. Ela passa a ficar obcecada em acabar com a tranquilidade dos dois, transformando suas vidas num inferno. O elenco traz Rosario Dawson, George Stults e a eterna Izzie Stevens de “Grey’s Anatomy” e estreia dia 20.

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2

A trupe formada por Peter Quill (Chris Pratt), Gamora (Zoe Saldana), Rocket Racoon (voz de Bradley Cooper), Baby Groot (voz de Vin Diesel) e Drax (Dave Bautista) voltam para uma nova aventura intergalática após provarem que, apesar das desavenças, formam uma equipe e tanto (parceria reforçada pela bilheteria arrecadada pelo primeiro longa da franquia). nesta nova aventura, Quill descobre segredos sobre a identidade de seu pai e na busca por ele, inimigos acabam se tornando aliados enquanto o público promete ser presentado por uma trilha sonora tão “classuda” quanto a do primeiro filme. Fechando Abril com chave de ouro, “Guardiões 2” aterriza na telona dia 27.

[MUSICA] Confira o novo clipe de JUSTIN TIMBERLAKE!

Justin_Timberlake_Trolls_New_Song

Mas calma, ainda não é o comeback!

Na calada desta terça-feira (17), o cantor/ ator/ empresário/ quero-ser-quando-crescer Justin Timberlake lançou um clipe para a canção “Can’t Stop the Feeling“! A música foi disponibilizada nas principais plataformas de streaming com uma semana de antecedência e, desde então, figura entre as primeiras posições nos principais charts do mundo. Confira o video a seguir:

Entretanto, a canção (que é ótima, por sinal) não marcará retorno musical do cantor: ela entrará na trilha sonora da animação “Trolls“, lançada em breve pela Dreamworks(essa música não lembra a “Happy“, do Pharrell? Vale lembrar que ela também trilha sonora de outro longa da produtora – “Meu Malvado Favorito 2″). De qualquer forma, som novo desse cara nunca é demais!

[SERIES] AMÉM: Confira o trailer da série “O EXORCISTA”!

exorcista_2

Agora você terá um encontro com a Meghan toda semana. /o\

Por essa, ninguém esperava…! O canal norte-americano FOX lançou ontem (16) a promo de uma de suas novas – e aterrorizantes – apostas para a próxima temporada: O Exorcista (sim, é baseado no clássico cinematográfico de 1973)!

Confira a resenha da série, pelas palavras do Cine Pop:

Dirigido por Rupert Wyatt (‘Planeta dos Macacos: A Origem’), ‘O Exorcista’ é um thriller psicológico que acompanha dois padres muito diferentes que cuidam do caso de uma família que sofre de uma possessão demoníaca horrível. O padre Tomas Ortega (Alfonso Herrera, “Sense8”, “The Chosen”) é o novo rosto da Igreja Católica: progressivo, ambicioso e compassivo. Ele mora nos subúrbios de Chicago. Ele não tem ideia de que sua vida tranquila está prestes a mudar para sempre. Enquanto isso, do outro lado do mundo, um outro padre encontra-se trancado em uma luta de vida ou morte com o mal. O padre Marcus Brennan (Ben Daniels, ‘House of Cards’) é um moderno cavaleiro templário, um órfão criado desde a infância pelo Vaticano para fazer a guerra contra seus inimigos. O padre Marcus é tudo que o padre Tomas não é: implacável, abrasivo e totalmente consumido or sua sagrada missão. Eles logo são sugados pelo drama da família Rance, membros da paróquia de Tomas. Na superfície, eles são uma família normal, mas nem tudo é como parece nesta casa. O patriarca, Henry Rance (Alan Ruck) está enlouquecendo aos poucos. A filha mais velha, Katherine (Brianne Howe), tornou-se uma reclusa que se recusa a sair de seu quarto. Sua irmã mais nova, Casey (Hannah Kasulka), acha que ela está ouvindo barulhos estranhos vindos de dentro das paredes. E sua mãe Angela (Geena Davis) tem sido atormentada por pesadelos recorrentes, cada um mais assustador do que o anterior. Angela acredita que há algo na casa, uma presença demoníaca, cada vez mais forte a cada dia. Desesperada, ela implora ao Padre Tomas por ajuda. Separadamente, cada um enfrenta uma tarefa intransponível, mas juntos eles se tornam a única esperança contra uma força maligna que tem mobilizado durante séculos.

E se a história ainda não te convenceu, dá play na promo abaixo deste show que invadirá a telinha no início de 2017:

[FILMES] MAD MAX :: Vem mais 2 filmes por aí!

Eu vivo, morro. Vivo outra vez!” – Nux

É amigos, a “corrida”não terminou: Teremos mais dois filmes da franquia “Mad Max” por aí! E quem revelou a novidade não poderia ser uma fonte mais confiável que o criador da história e diretor do último filme, George Miller! Durante as gravações de “Mad Max: Estrada da Fúria“, George acabou criando não um, mas DOIS roteiros novos para o personagem Max.

O título do próximo longa será “Mad Max: The Wasteland“, mas ainda não foi batido o martelo sobre qual dos dois roteiros será a próxima aventura a chegar às telonas.

Então, acabamos com dois roteiros, sem nem mesmo tentar”, conta o criador da franquia. “Estamos conversando com o estúdio, mas qual dessas histórias vai acontecer a seguir, não tenho certeza”.

Se vai ter mais “Mad Max”, ao menos mais esse “freela” o Tom Hardy já abraçou, mas a pergunta que não quer calar é: Vai ter mais Charlize Theron também?? #VemFuriosaVem

Confira abaixo o trailer da obra-prima “Mad Max: Estrada da Fúria“:

[SERIES] GREY’S ANATOMY :: 12×01 – “Sledgehammer” [Season Premiere]

Greys_Anatomy_Season_12

O melhor começo de temporada desses 12 anos.

É impossível começar com outra declaração que não essa: A série “Grey’s Anatomy” conseguiu se reinventar novamente, de uma forma como nunca antes vista (e apreciada). Vale lembrar que se você não viu o season finale da 11ª temporada, ENCERRE SUA LEITURA AQUI (Ou prepare-se pra ler os principais spoilers do show). Como vou deixar “o sol pro final do dia”, começo comentando os personagens coadjuvantes da trama:

A corrida para o cargo de novo Chef de Cirurgias do Grey Sloan Hospital chega ao fim neste episódio: On the run, temos a ex-nazi e mãe do Tuck, Miranda Bailey; Do outro, uma PUTA competidora que a mãe do Avery recomendou para concorrer a almejada posição. Ela passa boa parte do episódio sendo um personagem badass que mexe com a auto-confiança de Bailey, esta resgatada nos 45 do 2º tempo graças ao Ben. Ela faz sua apresentação referente ao cargo e, como era de se esperar (eu esperava, ao menos), ela se torna a nova Chef de Cirurgias (amém)!

Resumão de outros personagens: A April volta da guerra e, ao encontrar Avery, fica claro que a coisa não é a mesma e que vem drama por aí com o casal; Arizona se questiona o episódio inteiro pra Edwards por que ninguém quer dividir apartamento com ela, que entrega ser pelo fato de todos acreditarem não estar a altura de viver com alguém tão fo(di)da, até que o novo McDreammy da série chega e topa dividir apartamento com ela por não ser muito popular entre os internos; o Hunt decide que investirá mesmo na Amelia~que era mulher verdade~ e Karev confessa a Jo que sofria bullying no colegial por ser gordinho (ele foi importante assim no episódio).

O caso médico do episódio gira em torno de duas adolescentes atingidas por um trem (SÓ por um trem, coisa leve). A sensibilidade de Callie a faz enxergar que as, até então desconhecidas, na verdade eram namoradas e o então acidente não era exatamente um acidente. A mãe de uma das meninas, que sabia sobre a filha ser lésbica, agendara um acampamento do tipo “sessão descarrego” para a filha ir, no intuito que ela “percebe-se ser hétero”. Desesperada, a menina sugeriu a atitude suicida em conjunto com sua namorada para, enfim, ficarem juntas. Após ouvir a história, Dra. Torres aconselhou a paciente que se matar não resolveria a situação e que essa vibe errada passaria logo, com um desfecho legal para ela. Quando a mãe da menina chega ao hospital, vemos que ela é um dos piores tipos de pessoa que poderíamos encontrar por aí: Preconceituosa, mesquinha e extremamente autoritária, ela “abre” a asa pra cima de Callie após a médica garantir que mandar a filha para um lugar daqueles não seria bom em aspecto algum, dando a entender que já estivera quando mais nova. A mulher dá um barraco e tenta humilhar a médica, que sai com aquele sentimento de “garganta travada”. Mais tarde, ela volta a encontrar Torres e Dra. Pierce e entrega uma das séries que já marca a história do seriado: Na tentativa de humilhar a segunda médica, ela começa a gritar e xingar a profissional que a acerta uma de direita A-NI-MAL! O mais engraçado da série é o fato de que, quando vai enfaixar a mão do soco, os residentes não param de chegar pra parabenizar a médica pela porrada! Hahahahahahaha! Da maneira como foi interpretada a cena, não ficou pastelão em nada (ficou até bem real: Eu daria um abraço em quem socar hater meu por aí #LançadoDesafio ). Ao ir se desculpar pela atitude com a mulher, vemos uma atitude que tardou mas não falhou: O submisso pai d amenina manda a mulher calar a boca, garante que eles não processarão o hospital e ainda garante que caga se a filha é gay ou não, pois está mais interessado na felicidade da garota. Neste momento, a mesma chega da cirurgia e ouve tudo, concluindo o desfecho da história.

Aliás, Maggie foi o grande personagem da season premiere: Não contente em socar mãe de paciente, a médica teve que bancar a “mãe” e fazer suas novas roomates (aKa Meredith e Amelia) voltarem a conversar devido ao rombo na parede da sala que a cunhada fez. No início foi meio besta a treta toda, mas a conversa final foi top e só não superou a atitude de Meredith pegar o martelo e também estourar a parede, estregando a imagem abaixo! Caralho, que série foda.

A primeira cena é daquele centro cirúrgico que vemos desde a primeira temporada, mas a locução já anuncia: Nada será como antes. E de fato, TUDO mudou: Ao menos neste episódio, Meredith passa longe de ser a viúva coitada. A quem temeu o rumo da série com a morte de Derek no último season finale, fica uma certeza: Já passou. A protagonista desponta motivada a provar que, como a saudosa Yang anunciou, “ela é o sol” da porra toda. Minha única dúvida é onde a Zola e o outro bebê foram parar… mas beleza! #PorraShonda

Vale destacar a trilha sonora deste episódio: Rolou basicamente só cover “mela-cueca” de música conhecida (“Wrecking Ball” e “Rude Boy” foram algumas). Eles não poderiam ser mais assertivos e embalar melhor o público que fizeram, foi muito bom de ver e de ouvir este episódio. Por fim, uma certeza: Se a atual temporada mantiver a qualidade geral apresentada nesta premiere, teremos uma GRANDE temporada!

Confira abaixo a promo do segundo episódio da 12ª temporada de “Grey’s Anatomy”:

[SERIES] ORANGE IS THE NEW BLACK: Assista ao trailer da 3ª temporada!

1309cover-ew-oitnb_612x380

Ele está entre nós!

O trailer da terceira temporada do aclamado show do “Netflix”, “Orange Is The New Black”, acaba de chegar na internet e você confere no link abaixo:

A terceira temporada do seriado estreia 12 de Junho de 2015.

[CULTURA] MIS receberá exposição de atriz de AMERICAN HORROR STORY!

A atriz Jessica BADASS Lange desembarcou hoje (10) no Brasil para inaugurar amanhã (11) sua exposição fotográfica no Museu da Imagem e Som (MIS) de São Paulo. A exposição leva o título “Jessica Lange: Photographer” e apresenta cerca de 140 clicks da atriz (e agora, fotógrafa) nos últimos 20 anos através de sua câmera Leica M6.

Dividida em duas sessões(“Coisas que Vejo” e “México”), a amostra contará com a participação da famosa Supreme do seriado norte-americano “American Horror Story” durante sua abertura nesta quarta-feira (para convidados/ imprensa) e será aberta ao grande público de 11 de fevereiro a 5 de abril de 2015 (De terças a sextas, das 12h às 21h; Sábados, das 10h às 22h; Domingos e feriados, das 11h às 20h).

O MIS fica na Av. Europa, 158 – Jardim Europa (SP) e terá ingressos de R$ 6,00 (inteira) a R$ 3,00 (meia).

Quem vai conferir os registros fotográficos da vencedora de 2 Oscars mais badass dos últimos tempos?

[HUMOR] 30 fantasias para você se destacar neste Carnaval!

E o Carnaval chegou de novo… Apesar de parecer mais rápido que o do ano passado, demorou exatamente 1 ano. E com ele, a galera já começa a aquecer suas redes sociais com trechos de marchinhas, a confirmar eventos diversos (de bloco de rua a bacanal, hahaha) mas não se atentam a um dos pontos que motivam a comemoração: putaria fantasia! As fantasias mais criativas naturalmente chamam mais atenção. Na empresa que trabalho, rolará um evento a fantasia daqui alguns dias e ainda não sei do que vou. Ao descer o search no Google, achei muita coisa diferente e reuni as mais figuras pra mostrar pra vocês! A seleção ficou bem democrática, pra dizer o mínimo! Confira abaixo as~melhores~da rede se você, por caso:

1. Sempre quis ser adotado por uma celebridade.

2. É vidrado nos filmes do Tim Burton.

3. Tem muita energia pra gastar.

4. Pretende ser um dos maiores casais do showbiz, nem que por uma noite.

5. Pretende fazer alguém gostar de seu desenho preferido desde cedo.

6. É conhecido pela galera por ser “cabeça dura”.

7. Vai pra festa direto do trampo.

8. Quer demonstrar pra todos que a relação de vocês tem perfeita simetria.

9. Que acha que a paternidade é “música para os ouvidos”.

10. Tá doido pra “espalhar seus dados” por aí…

11. Sempre quis participar de um filme que poderá se assemelhar ao fim da sua noite, fatalmente.

12. É ligadão em comida mexicana.

13. Pretenda gerar uma crise de identidade no seu animalzinho.

14. Conhece alguém sem criatividade, porém gostosa e peituda.

15. Não ser obrigado.

16. Não supera os anos 80.

17. Sempre teve o sonho de ter uma lagosta a mesa.

18. Acredita que a filosofia de vida Lego se adequa mais ao seu perfil.

19. Acha que chegou a hora de despertar “o cisne” de dentro de você…

20. Chama seu filho por apelidos que abrem o apetite.

21. “Sempre quis” montar numa bola de destruição.

22. Sempre sonhou viver um filme noir.

23. Se fantasia agora já pensando no Halloween.

24. Quer ser FODA sendo uma pintura do Banksy.

25. Nunca superou algum desenho da Disney.

26. … ou tirinha de jornal.

27. Nasceu pra ser um Transformer.

28. Gosta dos heróis, MAS OS VILÕES…

29. Ir igual seus amigos mas, mesmo assim, diferente.

30. Decida que, de fato, não vai terminar este baile sozinho!

[FILMES] TOP 10: Trailers divulgados no intervalo do Super Bowl 2015!!

A final do Super Bowl chegou e passou! Teve vitória dos Patriots, show da Katy Perry e para algumas pessoas, isso bastou. Mas não para este que vos escreve: Todo ano, milhares de comerciais e trailers estreiam no intervalo comercial da final do campeonato de futebol americano, que é sempre a maior audiência do ano (todo ano)! Alguns anos atrás, fiz um apanhado geral destes comerciais e publiquei pra vocês. Este ano, decidi fazer diferente: Junto com estes comerciais, os principais estúdios de cinema aproveitam a maior audiência do mundo para “dar luz” a suas principais estreias da temporada. Tratam-se de versões reduzidas de trailers, com até 1 minuto de duração. Este ano não foi diferente e, dentre os que saíram, você confere abaixo uma relação bem democrática dos 10 principais trailers exibidos na noite deste 1º de Fevereiro:

1. Minions

2. Furious 7 (Saga Velozes e Furiosos)

3. Ted 2

4. Terminator: Genisys (Saga O Exterminador do Futuro)

5. Pitch Perfect 2 (A Escolha Perfeita 2)

6. Jurassic World (Saga Jurassic Park)

7. The Bob Sponge Movie: Sponge Out Of The Water (Bob Esponja, o Filme)

8. Insurgente (Insurgent)

9. Tomorrowland

10. Kingsman: The Secret Service

[FILMES] “Grandes Olhos” (“Big Eyes”, 2014)

Os olhos, fatalmente, são a janela da alma.

Elenco: Amy Adams, Christoph Waltz, Krysten Hitter, Jason Schwartzman e grande elenco.

Direção: Tim Burton

Gênero: Drama

Méritos motivam. A partir desta afirmação, entremos de supetão na vida e história de Margaret Ulbrich (Amy Adams) e Walter Keane (Christoph Waltz): Recém-separada e com uma filha pequena para cuidar, Margaret abandona a antiga vida e chega a uma nova cidade para recomeçar um antigo projeto: lançar-se como pintora e, se rolar, sobreviver da arte. Ao expor numa praça a céu aberta, conhece o pintor calhorda Walter Keane (Waltz). O encantamento é imediato e, em pouquíssimo tempo, o sobrenome Ulbrich muda para Keane. A vida parece começar a entrar nos trilhos quando a ideia de Walter expor seus quadros e da esposa num famoso restaurante da Califórnia vinga e, após uma briga dele com o dono do estabelecimento, os obras tomam conhecimento do grande público. Em questão de pouco tempo, todos querem uma obra de Walter… pintada por Margaret. Não entendeu? Eu posso explicar: Ao comercializar suas pinturas de ambientes e os retratos de olhos grandes da esposa, ele toma o crédito como criador de ambos segmentos, como se Margaret nem soubesse como pegar num pincel. Quando acontece a primeira vez, sra. Keane pede para que o marido nunca mais faça isso mas com o boom que os olhos grandes dão no mundo da arte, voltar atrás e dizer que os quadros na realidade eram pintados pela mulher não parece uma opção para Walter.

waltz

O filme retrata bem uma sociedade machista, que prioriza o trabalho masculino ao feminino mas, sinceramente, isso não é novidade é? Hoje mulheres tomam a frente em diversas empreitadas e se sobressaem a muitos caras mas, na época que o filme acontece, as coisas eram diferentes e a mulher era criada para ser mãe e dona de casa. Margaret decide tomar o rumo da própria vida mas, quando sai de um casamento arruinado, acaba em outro.

O sucesso das obras de olhos expressivos é cada vez maior: Walter agora é proprietário da Galeria Keane e conhecido mundialmente pelas criações da mulher que, cada vez mais, anula a si própria e não abre nem para a própria ser a autora das obras garantia do retorno financeiro dos Keane. O ponto alto da relação autodestrutiva do casal chega quando Walter oferece a possibilidade de “criar uma arte” para figurar no prédio da UNICEF: Trata-se de um quadro enorme, que coloca a real pintora a um estágio físico e psicológico próximo a um colapso. Após uma forte discussão, Margaret decide que aquela situação abusiva precisa acabar e… O filme está em exibição na maioria dos cinemas de todo o Brasil! Hahahahaha! Contar mais da história é entregar spoilers valiosos para o desfecho do longa.

Falar de um filme do Tim Burton é e sempre será uma tarefa de complicada. O diretor tem uma fanbase xiita forte e, qualquer opinião que vá contra “a genialidade” do cara, é tomado como ofensa pessoal. Felizmente, “Grandes Olhos” surpreende: A maneira tranquila e delicada que Adams dá vida a protagonista é extremamente crível (E incrível). Não entendi pq a interpretação dela foi barrada na relação de indicadas ao Oscar  (Aliás, alguém me explica o que foi a indicação da Rosamund Pike para melhor atriz por “Garota Exemplar”? Não entendi. Puta filme chato e a Amy de Pike foi de dar sono).

Falando em indicação ao Oscar, a dobradinha Burton-Waltz não garantiu também uma indicação ao colecionador de indicações (e estatuetas), mas aí é compreensível: Walter Keane ficou exagerado. Ele poderia até ser exagerado na vida real de fato, mas no filme ficou um pouco demais. O bon vivant de Christoph entrega uma opção legal de entretenimento mas TÁ LONGE de ser um dos personagens inesquecíveis da carreira do veterano. Esta, junto a canção-tema do longa interpretada pela Lana Del Reyvotril são as únicas ressalvas negativas que faço pra mais este campeão de bilheterias de Tim Burton. A interpretação de Jane, filha de Margaret, também valem o comentário: São duas interpretações (uma criança, uma adolescente) e ambas arregaçam (Mais a da criança, que passava na telona exatamente a tristeza que a mãe pintava em suas obras).

É difícil assistir a um lançamento do Tim Burton sem expectativa: A obra-prima (e meu filme favorito) “Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas” (“Big Fish”, 2003) foi um dos maiores acertos da carreira do excêntrico diretor, comparativo para tudo o que viria de lá em diante. A merda referente a comparações fede exatamente neste ponto: Nenhuma outra obra lançada desde então bateu a emocionante história entre pai e filho (Falando de longas, claro. As animações “A Noiva Cadáver” (“The Corpse Bride”, 2004) e “Frankweenie” (2012) vieram depois e são legais também). Vale a pena citar que Burton é a mente por trás do megalomaníaco blockbuster “Alice no País das Maravilhas” (“Alice In Wonderland”, 2010) e do indigesto remake de “Sombras da Noite” (“Dark Shadows”, 2012), para provar que gigantescos orçamentos nem sempre são sinônimo de boas obras e, por fim, o cara também atira no próprio pé…!

 

margarets

Margaret Ulbrich (verdadeira e na telona)

 

 

Finalizo afirmando que o filme, apesar de apresentar um lado sombrio psicológico distinto de outras obras do diretor, é uma das boas obras de Burton e com certeza entrará pra minha coleção. O filme, como citado acima, está em cartaz nas principais salas de cinema do país e abaixo você confere o trailer do longa para entender melhor a retratação cinematográfica dessa história, baseada em fatos reais:

[SERIES] THE FLASH :: Confira o novo pôster da série!

Como se fotografa um relâmpago!?

O canal norte-americano CW, responsável pela exibição de episódios inéditos da série nos EUA, disponibilizou online o novo pôster de sua grande estreia da temporada, “The Flash”. Confira abaixo:

flash_ver2_xlg

A série ainda não foi renovada, mas a emissora encomendou uma temporada completa (22 episódios) para a estreante que hoje é a principal audiência do canal, responsável também pela exibição de “Arrow”, “The Vampire Diaries” e “Supernatural”.

[FILMES] “Mesmo se Nada Der Certo” (“Begin Again”, 2014)

Para haver mudança, mude.

Elenco: Mark Ruffalo, Keira Knightley, Adam Levine, James Corden, Haileen Steinfeld, Yasiin Bey, Catherine Beener, Cee-Lo Green e grande elenco.

Diretor: John Carney

Gênero: Drama

O dia não foi dos melhores. Foi um daqueles que você se vê obrigado a lidar com você e, se der, sair vitorioso. Julguei que pegar um cineminha seria uma boa pedida pra espantar a bad e, de fato, não podia ter acertado mais a mão que neste aqui!

O longa conta duas histórias que colidem para mostrar que para se começar algo confiança é o mínimo exigido pra se chegar a algum lugar. De começo conhecemos Dan (Rufallo), um cara que falhou como pai e perdeu seu caminho como produtor musical de grandes artistas. O cara é uma bagunça! Ao chegar na produtora que fundou com um sócio, o cara despede ele na frente da própria filha, que já não vê o pai como uma espécie de super-herói… Ao deixar a filha em casa e passar o dia de bar em bar, ele acaba num pub que o “acorda para uma nova realidade”: E essa realidade canta bem e vem com a cara de Keira Knightley! A atriz dá vida a Gretta, uma compositora deixada pra trás pelo até então namorado rockstar Dave (Levine), que arrisca pela primeira vez assumir os vocais de uma canção autoral no mesmo local que Dan chora as pitangas.

Um dos principais fatores que fizeram o produtor musical se perder ao longo do tempo foi a quantidade de artistas pré-produzidos que chegavam pra analisar se valia a pena ou não assinar um contrato. Essa crítica do filme não podia ser mais atual e se você tem dúvidas, liga uma rádio a lá Jovem Pan que você vai ouvir músicas de refrão repetitivo que ninguém lembrará em cerca de 10 anos. O trabalho de Dan era trazer a luz do dia talentos que seriam consideráveis a longo prazo mas, cadê eles? A questão foi respondida de imediato ao ouvir a voz de Gretta naquela noite. O cara não bobeou e já ofertou produzir um álbum da agora cantora, mesmo ciente que acabara de ser despedido de seu alto cargo.

Juntos, eles tem a brilhante ideia de gravar todo álbum nas ruas de NY, com os mais diversos sons ambientes justamente pra dar essa visão crua e unplugged das canções/voz de Gretta. Durante o longa, é impossível não torcer pelo sucesso da dupla só pelo empenho que eles depositam na empreitada. Sinceramente, deu vontade de levantar e fazer algo FODA (Mas esperei o filme acabar, tava muito legal)!

Geralmente,em minhas resenhas, conto a história do filme do início ao fim. Hoje vou fazer diferente e só dar o hotspot do que esperar deste que já se tornou um dos meus filmes preferidos (Entrou pro TOP10!) e só confirmou que o John Carney é O CARA! A mágica do cinema é isso: Enormificar coisas comuns de maneira que, por si, elas tomem alta proporção. Não vou bancar o calhorda e dizer que não piro em títulos “blockbusters” pq isso seria uma mentira braba! Mas encontrar um filme desses, quase por acaso, é um achado. Um dos diálogos dele diz que atualmente “existe muito cordão mas poucas pérolas”: Porra! É ou não é verdade!? Essa metáfora pode ser usada em N aspectos e mesmo assim não perder seu sentido. Tenho vivido um período “vulnerável” atualmente, depositando esperança e esforços em pessoas e ocasiões que não são tão brilhantes quanto demonstram de início. Como se eu visse pérola onde é só cordão, sabe? Esse filme é realmente animal.

O filme “Begin Again” chegou ao Brasil com o título de “Mesmo se Nada Der Certo” e não entendi pq não traduziram pra “Recomeço”, “Tentar de Novo” ou alguma parada do tipo. O título ficou longo e pouco funcional. O diretor do longa (John Carney) é o mesmo do excepcional “Once – Mais Uma Vez”, um dos meus filmes preferidos por transformar uma história simples em extraordinária. É claro que o elenco engrandeceu o filme e até a atuação do vocalista do Maroon 5 surpreende positivamente! Aliás, em dado momento do filme, pareceu uma reunião de técnicos do The Voice USA com a entrada do figuraça Cee-Lo Green em cena (Aliás, ele interpretou ele mesmo certo?). Uma coisa dita atualmente a respeito do longa é que “ele é o filme do cara do Maroon 5” e isso é bem relativo: Fato é que o Adam Levine participa do filme mas ele não carrega a história nas costas. Se você não gosta do cara ou da banda, puxa de dentro um fator superativo: O longa vale a pena. E vai tranquilo que não é por conta dele. Mesmo pq a trilha sonora do filme é foda e ele é pouco responsável por esse pedaço do bolo, apesar de levar na moral a sensacional “Lost Stars”.

Os grandes destaques de “Mesmo se Nada Der Certo” são de fato Keira e Rufallo! Vem cá: Só eu que a princesa da saga “Piratas do Caribe” SABE cantar? Tipo, cantar e mandar bem! Foi a primeira surpresa quando, logo nos minutos iniciais do filme, ela abre a boca. O som da personagem é bem indie e ela manda BENZAÇO! Não torço pra isso, mas de repente se ela tentasse lançar alguma coisa no segmento, podia até ganhar certa relevância (antes flopar nos charts, como acontece com todos os outros. É a vida). Agora falando Mark Ruffalo, me responde uma coisa: Durante o filme, você lembrou do Hulk? E do cara que vê a fantasma em “E Se Fosse Verdade”? E “Ensaio Sobre a Cegueira”, “Códigos de Guerra” então? NÃO, não lembrou! É foda assim esse cara. Você simplesmente não lembra dele em nenhum outro papel pq cada personagem tem personalidade própria e ele arregaça em cada um.

Confira abaixo o trailer de “Mesmo se Nada Der Certo” e, assim que tiver uma brecha, não deixe de assistir:

[CURIOSIDADES] “ERA UMA VEZ…”: Designers recriam posteres icônicos da Disney!

Desenhos: Tá aí uma coisa que dificilmente alguém não goste. De séries como ” A Caverna do Dragão”, “Pokémon” e “Hora da Aventura” até os longas consagrados como “Toy Story”, “O Rei Leão” e o mais recente sucesso “Frozen”, fato é que animações encantam todas as idades por “falar” com cada uma a seu próprio jeito (Verdade seja dita: Uma ou outra piada que aparece em desenho da Disney só adulto entende). Entretanto, algo bem legal a respeito dos longa-metragens são seus posteres! Geralmente, o próprio vira a “capa” do DVD/Blu-ray a ser comercializado mais tarde. Costumo navegar nuns sites que publicam versões criadas por internautas e passo mó cara que nem besta vendo o talento da galera! Com isso, segue uma relação com os posteres mais f*das recriado por designers que dispensam apresentações. Vem comigo:

1. Os Incríveis (por Tom Whalen)

2. Procurando Nemo (por Tom Whalen)

3. O Rei Leão (por Tom Whalen)

4. UP! Altas Aventuras (por Kevin Tong)

5. A Bela e a Fera (por Martin Ansin)

6. Bernardo e Bianca (por Dave Peterson)

7. A Pequena Sereia – Úrsula (por Jason Edmiston)

8. Fantasia (por Jeff Soto)

9. Aladdin (por Tom Whalen)

10. A Bela Adormecida (por Billy Baumann)

11. A Espada Era a Lei (por Rich Kelly)

12. Alice no País das Maravilhas (por Ken Taylor)

13. Mogli (por Olly Moss)

14. Branca de Neve e os Sete Anões (por Anne Benjamin)

15. 101 Dálmatas (por Tiny Kitten Teeth)

Encerro a contagem mandando um beijo pra Karina Matulevicius e pro Felipe Mercado, meus designers favoritos. Espero que o trabalho da galera acima tenha inspirado todos vocês!

[FILMES] O elenco de “A Culpa é das Estrelas” desenha o que acreditam ser… amor!

Baseado no bestseller de sucesso, o filme “A Culpa é das Estrelas” (“The Fault In Our Stars”, 2014) mal chegou aos cinemas e já causa comoção. Ao conferir a estréia de “Malévola” (Confira a resenha AQUI), o trailer deste aqui passou e, em seu decorrer, ouvi choro de mais de duas mulheres. E era o trailer, PQP! Prevejo que como toda obra literária retratada na telona, “A Culpa” seja um enorme sucesso de público! Se assim como eu, você não sabe bem o que tava rolando, pega abaixo a sinopse da história:

Os adolescentes Hazel e Gus gostariam de ter uma vida normal. Alguns diriam que não nasceram com estrela, que o mundo deles é injusto. Os dois são novinhos, mas se o câncer do qual padecem ensinou alguma coisa, é que não há tempo para lamentações, pois, se aceitamos ou não, só existe o hoje e o agora. E assim, com a intenção de realizar o maior desejo de Hazel – conhecer seu escritor favorito – ambos cruzarão o Atlântico para uma aventura contra o tempo, tão catártico quanto devastador. Destino: Amsterdam, o lugar onde reside o enigmático e mal-humorado escritor – a única pessoa que talvez possa ajudar-lhes a encaixar as peças do enorme quebra-cabeça onde se encontram.

Atento a nova febre, o site BuzzFeed.com decidiu desafiar os protagonistas Shailene Woodley, Ansel Elgort e o autor da obra, John Green, a desenharem o que acreditam ser o amor. A atividade foi filmada e você confere aqui abaixo:

O longa “A Culpa é das Estrelas” chega aos cinemas nacionais 6 de Junho de 2014.

[FILMES] Malévola (“Maleficent”, 2014)

Elenco: Angelina Jolie, Elle Fanning, Brenton Thwaites, Sharlto Copley, Juno Temple, Imelda Staton, entre outros.

Direção: Robert Stromberg

Gênero: Fantasia / Aventura

E o “jeitinho Disney” de transformar vilã em princesa…

Filmes “grandes” (No sentido de grandioso e não longo) geram expectativa. Lembro cerca de 2 anos atrás, quando os primeiros boatos que a vilã da clássica animação “A Bela Adormecida” ganharia seu próprio filme. Boatos surgiram e se espalharam numa velocidade assustadora, mas só o fato de alguém levantar a lebre para a possibilidade do longa foi o suficiente para subirem à superfície as mais absurdas histórias. De todas, a que parecia ser mais mentirosa de todas veio a se confirmar mais tarde: Angelina Jolie acrescentaria a sua extensa e foda premiada carreira o papel da protagonista. De repente, todos os holofotes estavam em cima do novo projeto da vencedora do Oscar. A produção teve um trabalho da porra exaustivo ao esconder a caracterização da atriz durante as filmagens, mas com os paparazzis ninjas da atualidade, nada passa ileso. A primeira foto de Jolie caracterizada, embaçada e caracterizada de Malévola ganhava vida em algum tabloide da vida e, confirmava de vez, que a bagaça tava acontecendo!

De lá pra cá, não mais que “em uma piscada”, chegou o final de semana de estréia de “Malévola” na telona. Desde que fiquei solteiro, deixei de ir com a mesma frequência ao cinema (Com exceção a filmes da Marvel, ), mas calhou o convite pra eu acompanhar este aqui logo na estreia. Nada me tirava da cabeça que a frustração vivida por “Alice no País das Maravilhas” de Tim Burton se repetiria aqui (Fique claro: Visualmente o filme é ANIMAL, mas em questão de enredo e interpretações é ó, uma bosta). Aí o filme começou… [ATENÇÃO: Daqui em diante contarei a história do filme, com SPOILERS inclusos. Se não quiser saber antes pra não estragar nenhuma surpresa, essa é a hora de parar de ler. Agora, se não te incomoda saber antes ou já viu o filme, vem comigo…]

O longa reconta o clássico da Disney, porém com a visão da “vilã”. Recapitulando o desenho:

No batizado da princesa Aurora, Malévola aparece e amaldiçoa o bebê, prevendo que em seu 16º aniversário ela espetaria o dedo numa agulha e adormeceria até receber um beijo de amor verdadeiro. O Rei Stefan ordena então que suas 3 fadas madrinhas cuidem da recém-nascida (Aí é fácil ter filho, dando pros outros cuidarem) até a menina ter 16 anos e 1 dia de vida. Ela cresce, espeta o cacete do dedo onde todo mundo mandou ela não espetar, cai dura, o príncipe Felipe mata a Malévola (Dragon version), beija o presunto, ela acorda e eles são felizes para sempre.

Neste filme, conhecemos Malévola na infância: Ela é uma fada (Sim, uma fada mano…) responsável por cuidar de uma floresta encantada, habitada por possíveis pokémons (Tô ligado nos paranauê, Disney) que só fazem coisas legais e peidam erva-doce. Belo dia, ela conhece o jovem Stefan. Ela nunca tinha visto um humano antes e nem ele uma foda, LOGO, se catam. HAHAHA! O rolo dura uns bons anos até o moleque crescer, parar de visitar a chifruda (Literalmente) na floresta da fantasia e ambicionar um lugar de destaque no reino. Ao ouvir que o rei moribundo nomeará seu sucessor aquele que matar Malévola, o cara não mede esforços para voltar a floresta e jogar um papo do tipo “querem te matar, vim aqui avisar, sou mó legal, vem cá minha nega”. A protagonista tem “uma situação” com aço: Assim que ela encosta em qualquer peça do material, ela se queima. Sabendo disso, Stefan saca uma faca para matá-la durante o sono mas amolece na última hora e decide “só” cortar as asas da fadelfa (#notaword, tô ligado). Ele chega com as asas no leito de morte do rei, ganha o direito de se casar com a princesa e assim, ocupar o maior cargo do local. Ao acordar, Malévola percebe que além de levar um pé na bunda, NÃO TINHA NEM ASA PRA COBRIR A BRANQUELA! HAHA! Daí em diante, decide que ao recuperar forças, se vingaria do humano que mais confiou e a traiu da pior forma (#tamojunto). Como falar com os bichos felizes dão mais depressão quando você tá na merda, Malévola decidiu transformar um corvo recém-apreendido por outro humano em… Um humano! Ao salva-lo, já lança que o cara virará o animal que ela quiser, na hora que ela quiser mas, durante o 80% do filme, ele é um corvo-correio responsável por ir ao reino verificar as novidades e contar pra Tomb Raider exú. Nada muito interessante acontece até o nascimento da primeira filha de Stefan. Até aqui, descobrimos uma história que o desenho nunca contou: Se parar pra pensar, o ódio da vilã era mesmo infundável pra chegar no batizado do bebê e jogar uma maldição, de boas.

A cena do batizado é refeita mas, agora, estamos cientes dos reais motivos que levaram Malévola a conjurar a maldição. Diferentemente dela, eu amaldiçoaria o rei ramelão e não  o cazzo do bebê! A lição da traída se dá pelo fato de ver Stefan perdendo o que mais gostou na vida, assim como aconteceu consigo mesma ao perder as asas. Aí ela amaldiçoa Aurora e as fadas “cuidam” da jovem princesa BAIS OU BENOS como o desenho mostra: A inexperiência do trio com criança abriram passagem para que uma Malévola “maternal” intervisse e cuidasse discretamente do crescimento correto do bebê. Em dado momento, Malévola enfeitiça Aurora e a leva para a floresta encantada afim de conhecê-la. No primeiro encontro, ela se mostra e a loirinha diz não sentir medo da aparência da fada, garantindo saber que ela sim é sua verdadeira fada madrinha. Com isso, o coração de Malévola é tomado de assalto e conforme os anos passam, ela se apega cada vez mais a menina. Certa noite, ela vai ao quarto da dorminhoca Aurora para desfazer o feitiço, mas o fato de que ao conjurá-lo declarou que ninguém e nenhuma magia no mundo poderia desfazê-lo a coloca em leve desespero. O aniversário fatal de Aurora aproxima-se e ela sugere que a menina more na floresta com ela, o que é apoiado num primeiro momento. Só que aí ela descobre ser da realeza e, de quebra, se apaixona pelo idiota do príncipe Felipe (Aliás, na moral, já vi príncipe com cara de trouxa MAS ESSE TÁ DE PARABÉNS!! Parece que se esforça, pqp…). Aí ela vai pro castelo antes de seu aniversário e é presa na masmorra pelo próprio pai até comemorar aniversário (#paidoano). Nada a impede de seu destino, e lá vai a enfeitiçada Aurora “meter o dedo onde não deve”. Desmaia e fica na cama de seu quarto. Enquanto isso, o rei Stefan se prepara para a possível visita de Malévola para matar sua filha (Que já tá dormindo de velho, mó trouxa).

Do outro lado do reino, Malévola encontra Felipe e o enfeitiça para que ele dê o beijo em Aurora! É ISSO MESMO: Ela que tentará desfazer o feitiço jogado por si própria! Seria foda se não fosse uma BELA duma cagada! Ela chega ao quarto de Aurora sem grandes dificuldades e testemunha que o beijo do príncipe não é um beijo de amor verdadeiro, como ela queria. A princesa não acorda e as fadas botam o príncipe de pau duro pra fora do quarto. Nisso, Malévola tem o momento mais emotivo do filme ao declarar que gosta realmente de Aurora e não gostaria que isso acontecesse com a princesa, visto que ela não merecia pagar pelo erro de outra pessoa (No caso, seu pai). Antes de partir, ela dá um beijo em Aurora e ao virar de costas, a garota desperta. Logo, o beijo de amor verdadeiro foi dado pela própria “vilã”. Agora acordada, a dorminhoca diz seu desejo de morar na floresta com Malévola e elas decidem sair do castelo. Entretanto, a guarda do rei Stefan dá de cara com elas e atacam Malévola, que faz o corvo se transformar no dragão que conhecemos do desenho. A princesa foge para um cômodo onde, VEJA SÓ, estão guardadas as asas de sua fada madrinha! Ela quebra a redoma e as asas encontram sua dona, livrando Malévola da morte. Dali em diante, pouco acontece e o filme encerra com uma vilã transformada em heroína, sem amarguras no coração, vivendo na floresta encantada com a, agora coroada, princesa Aurora e os bichos felizes (Incluso príncipe Felipe).

O saldo final do filme é positivo: “Malévola” entrega uma boa opção de entretenimento com um roteiro bem amarrado e a convincente atuação de Angelina Jolie. Uma coisa que não entendi e considero uma espécie de “erro de linguagem visual” é o porque a protagonista aparece com o rosto branco em todos os pôsteres e, no filme mesmo, aparece somente pálida. Faltou pós de mico pra filmagem!? E, por se tratar de um filme de fantasia, senti que pegaram muito leve nos efeitos visuais. Não me entenda mal: Os cenários são fodas, mas tenho como comparativo a saga Harry Potter. Lado a lado, a galera da Disney podia ter pesado a mão um pouco mais nesse quesito! Apesar de ter gostado do filme, sinceramente, ele é um daqueles que entra na categoria “filmes legais que vi mas não pretendo ver de novo”. Não por nada, mas por tudo! Confira abaixo o trailer do filme: