[MUSICA] Conheça a música inédita de CHRISTINA AGUILERA, “Change”!

Christina Aguilera - Change

“Waiting for a the day when you can be you and I can be me”

Após 4 anos sem material próprio inédito, a cantora Christina Aguilera surpreendeu o público e a crítica na manhã desta sexta (17) ao divulgar a faixa “Change“. Mas se você imagina que é o single que abrirá os trabalhos do novo álbum, pense de novo: a balada, de forte apelo emocional, é uma homenagem para as vítimas do atentado na boate LGBT Pulse, em Orlando. E para pontuar ainda mais a boa ação, toda a renda da canção será revertida para as famílias que perderam entes queridos na fatalidade.

Ouça “Change” clicando no video e acompanhe a tradução logo abaixo:

“Quanto eu era jovem eu olhava no espelho,
Não sabia ali, mas agora não poderia ser mais claro
Eu lembro de estar repleta de felicidade
Antes de aprender que o mundo poderia ser bem duro

Quem você ama ou a cor da sua pele
Ou o lugar em que você nasceu e cresceu
Não deve definir como você vai ser tratado
Porque nós somos todos iguais quando respiramos

Para todas as almas bravas que vieram antes de nós
Se mantenha em pé e, com orgulho, levantem suas vozes
Deixem eles saberem que você são e quais são suas escolhas
E um dia não teremos que cantar este refrão

Esperando por uma mudança que nos liberte
Esperando pelo dia que você poderá ser você e eu poderei ser eu
Esperando a esperança estar por perto
Esperando pelo dia que o ódio irá se perder e o amor será encontrado”

O novo álbum de Christina Aguilera não tem data certa de lançamento, porém sites especializados no segmento preveem que até o Natal os fãs curtirão material novo da jurada do “The Voice“.

Anúncios

[SERIES] BROOKLYN NINE-NINE :: 1×01 – “Pilot”

Uma versão de “Loucademia de Polícia” dotada de previsível extrapolado.

Foi dada largada em mais uma Fall Season! Com ela, chovem episódios pilotos para os mais diversos gostos : Ação, drama, comédia e… besteirol. Conforme as promos foram distribuidas durante o ano, fiz uma relação de apostas para a temporada que acabou de chegar (Confira aqui) e já bate um sentimento “vergonhoso” em ter apostado num piloto tão sem-vergonha como foi o de BROOKLYN NINE-NINE.
 
A nova aposta da FOX é a comédia (Mais besteirol que qualquer outra coisa) que traz como protagonista o ex-SNL Andy Samberg no papel de Jake Peralta (Sério: Peralta), o melhor detetive do departamento de polícia do Brooklyn, que desvenda crimes através de seu jeito atrapalhado e impulsivo. Jake compete pela maior quantidade de resoluções criminosas com Rose e, logo no piloto, entrega que eles formarão casal no série. A detetive faz a linha séria, incorfomada pelo fato do cara resolver as situações “na cagada” enquanto ela se esforça pra fazer o certo, da melhor maneira possível.
O esquadrão passa por um momento de transação com a chegada Holt, o rígido novo capitão do time. Intolerante a brincadeiras e perda de tempo, Holt menciona no fim do episódio ser gay assumido, quebrando o estereótipo e entregando o único fator surpreendente até aqui. O resto dos personagens são definidamente protagonistas e escadas escancaradas para as piadas de Peralta. Cenas que valem o destaque são a do Sargento Terry (Pai do Chris em “Todo Mundo Odeia o Chris”, lembra?) atirando descontrolado num manequim e a do funcionário “politicamente correto” que derruba o bagel e pisa, em seguida, nele. De resto, nem a dança do robô salvou.
A verdade é que a série, aguardada como grande hit da temporada FOX-ana, peca pelos excessos: Excesso de piadas prontas, excesso de personagens de perfis “esgotados” em tantas outras séries, excesso de babaquice do protagonista (O ator só faz esse tipo de papel, dificultando comparações de atuação com papéis que destacassem seu – possível – talento, além do cômico) e o apoio excessivo dos coadjuvantes que assinam embaixo do comportamento imaturo do policial.  
SALDO FINAL: Apesar de não estar passando “por um dia difícil”, não consegui rir de uma piada deste piloto, diferentemente de outras que como 2 BROKE GIRLSTHE EXES e NEW GIRL, que me fazem rir sem sequer pensar! A série é bem amarrada visualmente e tem edição competente, mas é rasa e não funciona pra mim. Apesar disso, vou na melhor de três e dar até o terceiro episódio a chance da série se reerguer (Graças a essa “prática”, sobrevivi ao piloto medonho de CHICAGO FIRE e vi que a série tinha algo a apresentar). Se os roteiristas desta comédia pegarem de jeito para CRIAR (E não só copiar. Só pelo piloto, chega), a série pode garantir bom público e, quem sabe, uma renovação. Acredito que BROOKLYN NINE-NINE é o caso ame ou odeie. No meu caso, a segunda levou a melhor. Samberg: Mais duas chances!

Confira abaixo a promo da série: