[MUSICA] ROLLING STONES :: MICK JAGGER será pai novamente aos 72 anos!

Rapaz, é “satisfaction”que não acaba mais…

Essa ninguém esperava: Mick Jagger será pai novamente! Segundo o tabloide The Sun, o vocalista dos Rolling Stones espera seu oitavo filho, este com Melanie Hamrick, a atual namorada de 29 anos. A bailarina já está no terceiro mês de gestação deste que será seu primeiro filho.

Curioso lembrar que o maior pé frio (futebolisticamente falando, ao menos) da história se tornou bisavô de uma menina dois anos atrás, de sua filha Assisi Jackson.

Os Rolling Stones atualmente estão em turnê pelo Canadá.

[MUSICA] KATY PERRY :: Confira a nova canção “Rise”!

katy-perry-rise

A madrugada deste 15 de Julho começou animada no mundo POP: após Britney Spears anunciar o lançamento de seu novo single “Make Me” (clique aqui para ouvir), os fãs montaram guarda no Twitter. Porém o que ninguém esperava é que outra cantora planejava o mesmo, só que de surpresa… Pois foi o que aconteceu: Ao bater meia-noite, Spears cumpriu o prometido enquanto Katy Perry surpreendia o público ao lançar o single “Rise“, sem mais nem menos! Especulou-se nas primeiras horas da madrugada que se tratava do single de um novo álbum, informação depois corrigida ao afirmarem que a faixa se trata do tema oficial das Olimpíadas no Rio de Janeiro. Com isso, fica praticamente certa a presença de Perry no Brasil para o encerramento do evento.

Agora chega de papo: Clique na capa do single aí em cima e confira o novo som de Katy Perry, “Rise”!

Em tempo: o clipe acabou de sair! Confira abaixo:

 

[MUSICA] “LADY ANTEBELLUM”:: Assista “Lonely Girl”, novo video solo de Charles Kelley!

Charles_Kelley_Lonely_Girl_Lady_Antebellum_Clip_Video

Existe vida além do Lady Antebellum SIM!

Novidade para os fãs de Charles Kelley: O vocalista de um dos trios country mais bem sucedido dos últimos tempos, que alçou voos ainda maiores em 2015 com o lançamento de seu primeiro álbum solo (“The Driver“), acaba de lançar o videoclipe para seu terceiro single, “Lonely Girl“. Vale lembrar que o abre-alas, que também leva o nome do álbum, foi indicado ao Grammy de 2016 na categoria “Melhor Duo Country”. Aparentemente, Kelley tem acertado a mão e a seguir você confere seu novo clip:

[MUSICA] Assista ao novo clipe do ONEREPUBLIC, “Wherever I Go”!

OneRepublic_Whereve_I_Go_Video_Clip_Music

“I know I can lie but I’m telling THE TRUUUUE…”

Após um longo período afastado dos holofotes, os caras do OneRepublic estão de volta! O sucessor do hitmaker “Native” (2013) teve seu primeiro single disponibilizado ao público semana passada e o clipe caiu na rede terça-feira (17), atingindo até o momento quase 1 milhão de visualizações!

Assista abaixo ao novo clipe, “Wherever I Go”:

[SERIES] Série NASHVILLE é cancelada… mas nem tudo está perdido!

É isso mesmo que você leu!

Esta semana, o canal de TV norte americano ABC anunciou o cancelamento de alguns shows de sua grade. Um deles, foi o drama musical Nashville: Em sua atual 4ª temporada, a série que conta as histórias das cantoras country Rayna James e Juliette Barns recebeu a foice do cancelamento, deixando fãs e equipe do show extremamente preocupados, visto que não há um final gravado para a temporada que se encerra 25 de Maio. Além disso, revistas especializadas em seriados anunciaram semanas atrás que esta temporada terminaria com uma “bomba”, justificando a sequência para o ano seguinte do show.

Verdade seja dita: A série amarga audiência decrescente desde seu segundo ano e, mesmo gostando do show e do grande número de participações especiais, eu honestamente acreditava que a emissora manteria a série na grade até ela atingir syndication (uma série atinge este direito de ser exibida em plataformas de streaming após atingir 88 episódios; Curiosamente, Nashville encerrará  trabalhos (até o momento) com 87).

Diante da onda de reclamações online, a Lionsgate (produtora da série) se pronunciou com o seguinte tweet:

Nashville_Lionsgate

Isso significa que talvez a série retorne em outro canal/plataforma para uma temporada de despedida, ao menos. Vale lembrar que isso acontece com frequência e vou usar como exemplo a série The Killing, que foi cancelada em seu canal oficial e teve os direitos comprados pelo Netflix para uma temporada final, para encerrar dignamente o show. Honestamente, acho difícil a série “ser abraçada” devido seu alto custo de produção.

Atualmente, a série é exibida pelo canal ABC (Sony, no Brasil), possui 12 álbuns lançados (com colaborações de Christina Aguilera a Steven Tyler) e grande parte do elenco segue em turnê na América do Norte e Europa.

[MUSICA] ADELE :: Confira quando sai o single, clipe e álbum mais esperado de 2015!

adele-25-capa

A internet está prestes a quebrar!

O hiatus acabou! Esta semana veio com uma porção de novidades de Adele, um dos maiores fenômenos britânicos dos últimos tempos. Tá por fora das novidades? Calma que te deixo por dentro de tudo.

No início da semana, a cantora atualizou seu twitter para @Adele , somente. Com a atualização, ela publicou uma carta contando sobre sua vida e o que o público pode esperar de “25”, seu novo álbum. Como não sei fazer nada pela metade, confira abaixo a carta de Adele TRADUZIDA:

“Quando eu tinha sete, queria ter oito. Quando tinha oito, queria ter 12. Quando completei 12 tudo o que eu queria era ter 18. Depois disso, parei de querer ficar mais velha. Agora minto dizendo que tenho de 16 a 24 na esperança de ser convincente! Parece que passei minha vida, até agora, querendo que ela passasse rápido demais. Sempre desejando estar mais velha, desejando ser outra coisa, desejando que eu pudesse lembrar e desejando que eu pudesse esquecer também. Desejando não ter estragado tantas coisas boas porque eu estava assustada ou entediada. Querendo não levar tudo ao pé da letra o tempo todo. Desejando conhecer melhor minha bisavó e desejando não me conhecer tão bem porque isso significa que eu sempre sei o que acontece no final. Desejando que eu não tivesse cortado meu cabelo, desejando ter 1,70m de altura. Desejando ter esperado e me apressado ao mesmo tempo.

Meu último disco foi sobre um rompimento e, se eu tivesse que classificar este, diria que é um álbum fala de reatar relacionamentos. Estou fazendo as pazes comigo mesma. Compensando pelo tempo perdido. Compensando por tudo o que fiz ou pelo que nunca fiz. Compensando pelo tempo perdido. Compensando por tudo o que fiz ou pelo que nunca fiz. O que está feito, está feito. Fazer 25 anos foi um ponto de virada para mim, um tapa no meio dos 20 anos. Estar no limite entre ser uma adolescente em idade avançada ou uma adulta completa me fez decidir ser quem eu serei pelo resto da vida sem um caminhão de mudança lotado com minhas velharias. Eu sinto falta de tudo do meu passado, o bom e o ruim, mas apenas porque não posso voltar atrás. Quando eu estava lá, queria sair. Tão típico. Estou aqui falando sobre ser adolescente, sentar e falar bobeiras, sem ligar para o futuro, porque naquela época ele não tinha a mesma importância que tem hoje. Poder ser irreverente sobre qualquer assunto sem que haja consequências. Até mesmo seguir e quebrar regras… é melhor do que fazê-las.

O 25 fala sobre conhecer a pessoa que me tornei sem nem perceber. E me desculpem por demorar tanto, mas, como vocês sabem, são coisas da vida.

Com amor,
Adele

Como se não bastasse, ela revelou que o primeiro single, intitulado “Hello”, chegará aos ouvidos do público AMANHÃ(23)! Para ser mais específico, o single E O CLIPE já começarão a circular online por volta desta meia-noite! POR-RA!!! Abaixo, conheça a letra da canção, disponibilizada pelo Portal Adele Brasil:

Hello
Hello from the other side
I must have called a thousand times
To tell you I’m sorry, for everything that I’ve done
But when I call you never seem to be home
Hello, can you hear me?
I’m in California dreaming about who we used to be
When we were younger and free
I’ve forgotten how it felt before the world fell at our feet
Hello, how are you?
It’s so typical of me to talk about myself, I’m sorry
I hope that you’re well
Did you ever make it out of that town where nothing ever happened?

O novo álbum chegará as lojas dia 20 de Novembro de 2015 e você confere abaixo a tracklist de “25”:

 Hello
Send My Love (To Your New Lover)
 I Miss You
 When We Were Young
 Remedy
Water Under The Bridge
 River Lea
 Love In The Dark
 Million Years Ago
 All I Ask
 Sweetest Devotion

Sou um grande entusiasta da Adele e, os poucos segundos que ela divulgou da canção “soam bem Adele”. Ela tem um jeito e timbre de voz inconfundível, vocês sabem disso… Encerro na ansiedade pelo lançamento enquanto deixo vocês com o tal trecho citado:

[HUMOR] 30 fantasias para você se destacar neste Carnaval!

E o Carnaval chegou de novo… Apesar de parecer mais rápido que o do ano passado, demorou exatamente 1 ano. E com ele, a galera já começa a aquecer suas redes sociais com trechos de marchinhas, a confirmar eventos diversos (de bloco de rua a bacanal, hahaha) mas não se atentam a um dos pontos que motivam a comemoração: putaria fantasia! As fantasias mais criativas naturalmente chamam mais atenção. Na empresa que trabalho, rolará um evento a fantasia daqui alguns dias e ainda não sei do que vou. Ao descer o search no Google, achei muita coisa diferente e reuni as mais figuras pra mostrar pra vocês! A seleção ficou bem democrática, pra dizer o mínimo! Confira abaixo as~melhores~da rede se você, por caso:

1. Sempre quis ser adotado por uma celebridade.

2. É vidrado nos filmes do Tim Burton.

3. Tem muita energia pra gastar.

4. Pretende ser um dos maiores casais do showbiz, nem que por uma noite.

5. Pretende fazer alguém gostar de seu desenho preferido desde cedo.

6. É conhecido pela galera por ser “cabeça dura”.

7. Vai pra festa direto do trampo.

8. Quer demonstrar pra todos que a relação de vocês tem perfeita simetria.

9. Que acha que a paternidade é “música para os ouvidos”.

10. Tá doido pra “espalhar seus dados” por aí…

11. Sempre quis participar de um filme que poderá se assemelhar ao fim da sua noite, fatalmente.

12. É ligadão em comida mexicana.

13. Pretenda gerar uma crise de identidade no seu animalzinho.

14. Conhece alguém sem criatividade, porém gostosa e peituda.

15. Não ser obrigado.

16. Não supera os anos 80.

17. Sempre teve o sonho de ter uma lagosta a mesa.

18. Acredita que a filosofia de vida Lego se adequa mais ao seu perfil.

19. Acha que chegou a hora de despertar “o cisne” de dentro de você…

20. Chama seu filho por apelidos que abrem o apetite.

21. “Sempre quis” montar numa bola de destruição.

22. Sempre sonhou viver um filme noir.

23. Se fantasia agora já pensando no Halloween.

24. Quer ser FODA sendo uma pintura do Banksy.

25. Nunca superou algum desenho da Disney.

26. … ou tirinha de jornal.

27. Nasceu pra ser um Transformer.

28. Gosta dos heróis, MAS OS VILÕES…

29. Ir igual seus amigos mas, mesmo assim, diferente.

30. Decida que, de fato, não vai terminar este baile sozinho!

[FILMES] “Grandes Olhos” (“Big Eyes”, 2014)

Os olhos, fatalmente, são a janela da alma.

Elenco: Amy Adams, Christoph Waltz, Krysten Hitter, Jason Schwartzman e grande elenco.

Direção: Tim Burton

Gênero: Drama

Méritos motivam. A partir desta afirmação, entremos de supetão na vida e história de Margaret Ulbrich (Amy Adams) e Walter Keane (Christoph Waltz): Recém-separada e com uma filha pequena para cuidar, Margaret abandona a antiga vida e chega a uma nova cidade para recomeçar um antigo projeto: lançar-se como pintora e, se rolar, sobreviver da arte. Ao expor numa praça a céu aberta, conhece o pintor calhorda Walter Keane (Waltz). O encantamento é imediato e, em pouquíssimo tempo, o sobrenome Ulbrich muda para Keane. A vida parece começar a entrar nos trilhos quando a ideia de Walter expor seus quadros e da esposa num famoso restaurante da Califórnia vinga e, após uma briga dele com o dono do estabelecimento, os obras tomam conhecimento do grande público. Em questão de pouco tempo, todos querem uma obra de Walter… pintada por Margaret. Não entendeu? Eu posso explicar: Ao comercializar suas pinturas de ambientes e os retratos de olhos grandes da esposa, ele toma o crédito como criador de ambos segmentos, como se Margaret nem soubesse como pegar num pincel. Quando acontece a primeira vez, sra. Keane pede para que o marido nunca mais faça isso mas com o boom que os olhos grandes dão no mundo da arte, voltar atrás e dizer que os quadros na realidade eram pintados pela mulher não parece uma opção para Walter.

waltz

O filme retrata bem uma sociedade machista, que prioriza o trabalho masculino ao feminino mas, sinceramente, isso não é novidade é? Hoje mulheres tomam a frente em diversas empreitadas e se sobressaem a muitos caras mas, na época que o filme acontece, as coisas eram diferentes e a mulher era criada para ser mãe e dona de casa. Margaret decide tomar o rumo da própria vida mas, quando sai de um casamento arruinado, acaba em outro.

O sucesso das obras de olhos expressivos é cada vez maior: Walter agora é proprietário da Galeria Keane e conhecido mundialmente pelas criações da mulher que, cada vez mais, anula a si própria e não abre nem para a própria ser a autora das obras garantia do retorno financeiro dos Keane. O ponto alto da relação autodestrutiva do casal chega quando Walter oferece a possibilidade de “criar uma arte” para figurar no prédio da UNICEF: Trata-se de um quadro enorme, que coloca a real pintora a um estágio físico e psicológico próximo a um colapso. Após uma forte discussão, Margaret decide que aquela situação abusiva precisa acabar e… O filme está em exibição na maioria dos cinemas de todo o Brasil! Hahahahaha! Contar mais da história é entregar spoilers valiosos para o desfecho do longa.

Falar de um filme do Tim Burton é e sempre será uma tarefa de complicada. O diretor tem uma fanbase xiita forte e, qualquer opinião que vá contra “a genialidade” do cara, é tomado como ofensa pessoal. Felizmente, “Grandes Olhos” surpreende: A maneira tranquila e delicada que Adams dá vida a protagonista é extremamente crível (E incrível). Não entendi pq a interpretação dela foi barrada na relação de indicadas ao Oscar  (Aliás, alguém me explica o que foi a indicação da Rosamund Pike para melhor atriz por “Garota Exemplar”? Não entendi. Puta filme chato e a Amy de Pike foi de dar sono).

Falando em indicação ao Oscar, a dobradinha Burton-Waltz não garantiu também uma indicação ao colecionador de indicações (e estatuetas), mas aí é compreensível: Walter Keane ficou exagerado. Ele poderia até ser exagerado na vida real de fato, mas no filme ficou um pouco demais. O bon vivant de Christoph entrega uma opção legal de entretenimento mas TÁ LONGE de ser um dos personagens inesquecíveis da carreira do veterano. Esta, junto a canção-tema do longa interpretada pela Lana Del Reyvotril são as únicas ressalvas negativas que faço pra mais este campeão de bilheterias de Tim Burton. A interpretação de Jane, filha de Margaret, também valem o comentário: São duas interpretações (uma criança, uma adolescente) e ambas arregaçam (Mais a da criança, que passava na telona exatamente a tristeza que a mãe pintava em suas obras).

É difícil assistir a um lançamento do Tim Burton sem expectativa: A obra-prima (e meu filme favorito) “Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas” (“Big Fish”, 2003) foi um dos maiores acertos da carreira do excêntrico diretor, comparativo para tudo o que viria de lá em diante. A merda referente a comparações fede exatamente neste ponto: Nenhuma outra obra lançada desde então bateu a emocionante história entre pai e filho (Falando de longas, claro. As animações “A Noiva Cadáver” (“The Corpse Bride”, 2004) e “Frankweenie” (2012) vieram depois e são legais também). Vale a pena citar que Burton é a mente por trás do megalomaníaco blockbuster “Alice no País das Maravilhas” (“Alice In Wonderland”, 2010) e do indigesto remake de “Sombras da Noite” (“Dark Shadows”, 2012), para provar que gigantescos orçamentos nem sempre são sinônimo de boas obras e, por fim, o cara também atira no próprio pé…!

 

margarets

Margaret Ulbrich (verdadeira e na telona)

 

 

Finalizo afirmando que o filme, apesar de apresentar um lado sombrio psicológico distinto de outras obras do diretor, é uma das boas obras de Burton e com certeza entrará pra minha coleção. O filme, como citado acima, está em cartaz nas principais salas de cinema do país e abaixo você confere o trailer do longa para entender melhor a retratação cinematográfica dessa história, baseada em fatos reais:

[MUSICA] S CLUB 7 se reúne após 11 anos de hiatus! Confira a apresentação!

Bring it all back to you!

E 2014 trouxe mais uma reunião musical inesperada: Os ingleses do S Club 7 se reuniram para apresentação única num evento de caridade promovido pela BBC britânica. Donos de hits dos anos 90 como “Bring It All Back” e “Never Had A Dream Come True”, os 7 integrantes se reuniram para o medley de seus grandes sucessos que você confere abaixo:

[MUSICA] KESHA :: Confirmado show em São Paulo! Fique por dentro!

Kesha blowin’ the speakers up!

A cantora Kesha estará de volta a terras brasileiras em 2015 (E antes do que você imagina)! A produtora Tickets For Fun anunciou hoje pelo Twitter a novidade:

TFF

Vocês viram que o esquema tá “pra ontem”, né? Com ingressos a venda a partir do fim do mês para se apresentar em Janeiro, a cantora parece disposta a mostrar que tá de volta a toda depois de longo período pela rehab! Hits como Tik Tok, We R Who We R, Die Young e Timber já são aguardados pelo público. O anúncio do show vem junto com o vazamento do novo som da cantora, entitulado “Lover” (Confira abaixo). Mas e você? Vai ver a Kesha em SP?

[SERIES] NASHVILLE :: 3×01 – “That’s Me Without You”

Nashville_Cabeçalho1

Encontros, desencontros e um baby boom.

A terceira temporada de “Nashville” começou no rabicho do season finale, inconclusiva. Comecemos por Rayna e seus dois pedidos de casamento: Após ter a mão pedida em cima do palco por Luke, Deacon chega junto no backstage e também pede a mão da cantora. Até aí, sem novidades… mesmo depois de ver o episódio de retorno! A protagonista opta por escolher Luke mas todo mundo sabe que ela vai terminar com o Deacon e, como a temporada acabou de começar, não faz sentido ela juntar as botas com o guitarrista problemático agora. Pensando estrategicamente, a carreira (Lê-se gravadora) dela tem tudo pra aparecer relevantemente aos olhos do público após a união matrimonial das duas maiores estrelas country da história (É tipo Blake Shelton e Miranda Lambert, para um exemplo real). Fato é que ela tá mais perdida que caixa inexperiente em Black Friday e, provavelmente, meterá os pés pelas mãos com Wheeler.

A história de Juliette sim deu uma mexida: Ainda na fossa por Avery ter descoberto que ela deu pro dono da antiga gravadora, a cantora implora pelo perdão do baixista que, com razão, manda a mina a merda. Ela tem tipo um colapso nervoso após participar de uma audição para interpretar um filme musical sobre a vida da cantora Patsy Cline, onde dá umas tesouradas no cabelo. Até aí old Juliette, mas a bomba chega na última cena: O médico que chega para examiná-la diz não poder receitar medicação forte pelo fato da cantora estar grávida. A dúvida que paira é: Quem é o pai da criança? Avery? O dono da gravadora? O playboy dono das estações de rádio? Enquanto aguardamos, fica aqui registrado que essa saída pra personagem serve como uma luva pra atriz, que realmente engravidou! Barrigão real na telinha nos próximos capítulos.

Aquela viagem da Scarlet com o Avery e o Gunnar colou aí? Porque não colou aqui. A cantora não ter superado a “pane” que deu no palco e por isso decidir voltar para sua terra até faz sentido (Apesar de covarde), mas o Avery decidir ir junto por estar puto com Juliette (E de porre) e Gunnar ir por “não cogitar abrir a porta do carro” foi demais pra qualquer cristão… Ele dizer que a namorada dele levou na boa foi mais descabido ainda (Pra quem não lembra, Zoey era melhor amiga de Scarlet, também ex-namorada de Gunnar). O plot só foi válido pelo tombo do Avery e a fuga do bar, pq de resto ó, uma bosta! No fim, Scarlet decide voltar pra Nashville pois lá está sua família de verdade. As vezes os roteirista do seriado pesam a mão na melação e, honestamente, esta foi uma delas.

Finalizo com uma pergunta: Por que o “casal” Will e Layla ainda está no show? No fim da temporada, o cara esquece completamente que sua casa está cheia de cameras devido ao reality show e abre pra então noiva que é gay. O atual episódio traz uma Layla puta da vida por ter sido enganada e um Will perdidasso! Quando eles decidem encerrar o contrato com a produção do reality, BOO-YA, a produtora saca a declaração de Will e sugere sua publicação caso a dupla fuja ao roteiro do “casal feliz” interpretado até o momento. Sabe o que essa dupla precisa? De uma tragédia a lá “Grey’s Anatomy”, onde a galera simplesmente morre sem mais nem menos e a produção só abate da folha de pagamento. Sinceramente, esse lenga-lenga vai estender e não acho que o  plot rende muito mais, dado a mão que os roteiristas pesam a cada episódio do drama.

OBS: Achei interessante a participação da dupla Florida Georgia Line no show do Bluebird. Não conhecia a música e achei bem foda! O próximo episódio traz a participação de Luke Bryan.

Confira abaixo a promo do segundo episódio de “Nashville”:

[FILMES] “Mesmo se Nada Der Certo” (“Begin Again”, 2014)

Para haver mudança, mude.

Elenco: Mark Ruffalo, Keira Knightley, Adam Levine, James Corden, Haileen Steinfeld, Yasiin Bey, Catherine Beener, Cee-Lo Green e grande elenco.

Diretor: John Carney

Gênero: Drama

O dia não foi dos melhores. Foi um daqueles que você se vê obrigado a lidar com você e, se der, sair vitorioso. Julguei que pegar um cineminha seria uma boa pedida pra espantar a bad e, de fato, não podia ter acertado mais a mão que neste aqui!

O longa conta duas histórias que colidem para mostrar que para se começar algo confiança é o mínimo exigido pra se chegar a algum lugar. De começo conhecemos Dan (Rufallo), um cara que falhou como pai e perdeu seu caminho como produtor musical de grandes artistas. O cara é uma bagunça! Ao chegar na produtora que fundou com um sócio, o cara despede ele na frente da própria filha, que já não vê o pai como uma espécie de super-herói… Ao deixar a filha em casa e passar o dia de bar em bar, ele acaba num pub que o “acorda para uma nova realidade”: E essa realidade canta bem e vem com a cara de Keira Knightley! A atriz dá vida a Gretta, uma compositora deixada pra trás pelo até então namorado rockstar Dave (Levine), que arrisca pela primeira vez assumir os vocais de uma canção autoral no mesmo local que Dan chora as pitangas.

Um dos principais fatores que fizeram o produtor musical se perder ao longo do tempo foi a quantidade de artistas pré-produzidos que chegavam pra analisar se valia a pena ou não assinar um contrato. Essa crítica do filme não podia ser mais atual e se você tem dúvidas, liga uma rádio a lá Jovem Pan que você vai ouvir músicas de refrão repetitivo que ninguém lembrará em cerca de 10 anos. O trabalho de Dan era trazer a luz do dia talentos que seriam consideráveis a longo prazo mas, cadê eles? A questão foi respondida de imediato ao ouvir a voz de Gretta naquela noite. O cara não bobeou e já ofertou produzir um álbum da agora cantora, mesmo ciente que acabara de ser despedido de seu alto cargo.

Juntos, eles tem a brilhante ideia de gravar todo álbum nas ruas de NY, com os mais diversos sons ambientes justamente pra dar essa visão crua e unplugged das canções/voz de Gretta. Durante o longa, é impossível não torcer pelo sucesso da dupla só pelo empenho que eles depositam na empreitada. Sinceramente, deu vontade de levantar e fazer algo FODA (Mas esperei o filme acabar, tava muito legal)!

Geralmente,em minhas resenhas, conto a história do filme do início ao fim. Hoje vou fazer diferente e só dar o hotspot do que esperar deste que já se tornou um dos meus filmes preferidos (Entrou pro TOP10!) e só confirmou que o John Carney é O CARA! A mágica do cinema é isso: Enormificar coisas comuns de maneira que, por si, elas tomem alta proporção. Não vou bancar o calhorda e dizer que não piro em títulos “blockbusters” pq isso seria uma mentira braba! Mas encontrar um filme desses, quase por acaso, é um achado. Um dos diálogos dele diz que atualmente “existe muito cordão mas poucas pérolas”: Porra! É ou não é verdade!? Essa metáfora pode ser usada em N aspectos e mesmo assim não perder seu sentido. Tenho vivido um período “vulnerável” atualmente, depositando esperança e esforços em pessoas e ocasiões que não são tão brilhantes quanto demonstram de início. Como se eu visse pérola onde é só cordão, sabe? Esse filme é realmente animal.

O filme “Begin Again” chegou ao Brasil com o título de “Mesmo se Nada Der Certo” e não entendi pq não traduziram pra “Recomeço”, “Tentar de Novo” ou alguma parada do tipo. O título ficou longo e pouco funcional. O diretor do longa (John Carney) é o mesmo do excepcional “Once – Mais Uma Vez”, um dos meus filmes preferidos por transformar uma história simples em extraordinária. É claro que o elenco engrandeceu o filme e até a atuação do vocalista do Maroon 5 surpreende positivamente! Aliás, em dado momento do filme, pareceu uma reunião de técnicos do The Voice USA com a entrada do figuraça Cee-Lo Green em cena (Aliás, ele interpretou ele mesmo certo?). Uma coisa dita atualmente a respeito do longa é que “ele é o filme do cara do Maroon 5” e isso é bem relativo: Fato é que o Adam Levine participa do filme mas ele não carrega a história nas costas. Se você não gosta do cara ou da banda, puxa de dentro um fator superativo: O longa vale a pena. E vai tranquilo que não é por conta dele. Mesmo pq a trilha sonora do filme é foda e ele é pouco responsável por esse pedaço do bolo, apesar de levar na moral a sensacional “Lost Stars”.

Os grandes destaques de “Mesmo se Nada Der Certo” são de fato Keira e Rufallo! Vem cá: Só eu que a princesa da saga “Piratas do Caribe” SABE cantar? Tipo, cantar e mandar bem! Foi a primeira surpresa quando, logo nos minutos iniciais do filme, ela abre a boca. O som da personagem é bem indie e ela manda BENZAÇO! Não torço pra isso, mas de repente se ela tentasse lançar alguma coisa no segmento, podia até ganhar certa relevância (antes flopar nos charts, como acontece com todos os outros. É a vida). Agora falando Mark Ruffalo, me responde uma coisa: Durante o filme, você lembrou do Hulk? E do cara que vê a fantasma em “E Se Fosse Verdade”? E “Ensaio Sobre a Cegueira”, “Códigos de Guerra” então? NÃO, não lembrou! É foda assim esse cara. Você simplesmente não lembra dele em nenhum outro papel pq cada personagem tem personalidade própria e ele arregaça em cada um.

Confira abaixo o trailer de “Mesmo se Nada Der Certo” e, assim que tiver uma brecha, não deixe de assistir:

[MUSICA] THE SCRIPT: Confira o novo clipe dos caras, “Superheroes”!

A terça-feira acaba de melhorar! Com campanha publicitária a cerca de um mês em cima do primeiro single de seu quarto álbum, os norte-americanos do The Script acabam de lançar o videoclipe para a faixa “Superheroes“, evidenciando que o melhor super herói é aquele que “salva” o seu dia. Confira abaixo o novo som dos caras:

O quarto álbum de estúdio do The Script se chama “No Sound Without Silence” e chega oficialmente ao público em Setembro/2014.

[MUSICA] TOP5: Covers -quase- melhores que suas versões originais!

Deus abençoe a Internet! Nunca houve um espaço onde as pessoas pudessem expor seus talentos de forma tão simples e descompromissada e receberem o retorno público de maneira tão direto e sem rodeios. Uma das coisas que mais gosto de ver online são as versões de músicas conhecidas. P*rra, que galera talentosa! Queria eu ter metade do talento vocal que vira e mexe esbarro na rede. O post de hoje vem de dividir com vocês 10 covers que são melhores tão boas quanto suas versões originais:

1. Radioactive – Lindsey Stirling & Pentatonix

E se decidissem dar uma visão mais “clássica” para o grande hit do Imagine Dragons? Foi essa a intenção na união de Stirling aos caras do Pentatonix. Lembro que quando lançaram o video, mó galera divulgou e isso impulsionou a carreira de todos (Inclusive dos Dragons). Não é pra menos, ficou muito f*da!

2. Heartless – Kris Allen

A oitava temporada do reality show “American Idol” presenteou a audiência por suas razões: Por apresentar ao mundo Adam Lambert e por esta versão do vencedor da edição, Kris Allen. O programa é conhecido pelas versões de canções conhecidas mas, sempre que pode, derrapa FEIO nas “homenagens”. Quando feliz, a versão exibida fica na cabeça (E no MP3!) da galera por muito tempo! Foi o caso da “Heartless” de Allen: Ao pegar um hit de Kanye West, o cara conseguiu triplicar a qualidade da música! Que sabe, sabe.

3. Chasing Cars – Haley Klimkhammer

Conhecida pela versão do Snow Patrol, a balada “Chasing Cars” toma uma nova proporção ao encontrar a tranquila voz de Haley Klimkhammer. Eu nunca tinha ouvido falar dela, mas ao acessar seu canal é possível encontrar versão de quase tudo que é música conhecida. Pelo que vi, ela manda bem no que faz. Talento é isso.

4. Lithium – Pia Ashley

Como melhorar uma música que já atingiu o máximo satisfatório? Sinceramente, uma das vozes mais bonitas que lembro de já ter ouvido é da Amy Lee do Evanescence. Arrisquei procurar um cover da banda pra ver como a galera mandava diante de uma voz tão poderosa quanto a de Lee: Fato é que nenhuma bate de frente. Ponto. Mas uma versão que é tão boa quão descente para o repertório da banda é essa da Pia Ashey. Quando chega perto dos 2:50 então, fica claro que o caminho da mina é continuar cantando que o sucesso é consequência!

5. Crazy In Love – Iyes 

Uma das coisas mais fodidas que a galera faz online e “desconstruir” uma música e entregar uma completamente nova: Ou fica muito ruim ou fica muito bom, não há resultado mediano. Felizmente, a Iyes teve uma sacada genial ao transformar a agitada “Crazy In Love” da Beyoncé e transformá-la numa baladinha. P*rra, o quão do caralho não ficou!? Pirei no efeito sonora da arma! Como dizem nossos amigos norte-americanos, ficou “masterpiece”.

[MUSICA] Já viu o novo clipe do ONEREPUBLIC, “Love Runs Out”?

Tem som novo na área, galera! Os norte-americanos do OneRepublic relançarão o álbum “Native” (Que tem o hit instantâneo “Counting Stars”) com a faixa bônus de “Love Runs Out”. Para apoiar a divulgação, os caras decidiram lançar um clipe pra canção também! O clipe é bem… Sei lá, artístico (?). Se houver macumba na rave, deve ser assim, se pá… ENFIM, confiram abaixo o clipe que vale mais pela música que pelos frames em si: