[SERIES] GREY’S ANATOMY :: Novidades sobre a 13ª temporada do show!

Greys_Anatomy_Season_12

O que será a Shonda preparou para o retorno do drama médico? [CONTÉM SPOILERS]

Muito tempo se passou desde o final da 12ª temporada e a cada dia estamos mais próximos de descobrir como as histórias de Meredith e sua trupe se desenvolveram/desenvolverão dali em diante. Recapitulada rápida da última season finale: Owen e Amelia casaram; April deu a luz ao filho de Jackson num parto realizado por Ben; Stephanie sofre a perda do recente namorado roqueiro; Karev flagra o ex da Maggie acidentalmente em cima de Jo bêbada, após a mesma revelar ainda ser casada; Arizona libera a guarda de Sophia para Callie, liberando assim que a ortopedista voe para NY ao encontro da atual namorada, Peggy (assim, abandonando o show); Meredith percebe a saia-justa iminente ao perceber que Maggie está afim do Dr. Nathan, que ela pegou. Faltou alguma coisa? Acho que, no geral, tá tudo aí… Algumas notícias saíram online sobre a próxima temporada e decidi reunir ela todas aqui para que os fãs do show (assim como eu) não precisem mais “peneirar” a net atrás de alguma coisa interessante sobre os médicos de Seattle. LET THE SPOILER BEGIN!

◙ O Justin Chambers (Karev) publicou no Twitter que a mesa de leitura dos primeiros capítulos da nova temporada acontecem entre 25 e 29 de Julho e as filmagens já iniciam em 1 de Agosto, como você confere abaixo:

◙ Apesar de rolar uma petição online pedindo a demissão de Jesse Williams (Avery) do show devido ao seu discurso no BET Awards 2016, Shonda Rhimes já se pronunciou que o cara continua no show. Em tempo: Jesse foi homenageado na premiação negra e é acusado na petição de causar “racismo contra pessoas brancas” durante seu pronunciamento no evento. É mole? Ainda sobre Willians: vocês lembram  de alguma vez no show ter ouvido falar sobre o pai de Avery? Tudo o que se sabe é que ele abandonou a mulher e o filho por não aguentar o peso do sobrenome da esposa, porém as coisas podem mudar ao descobrir que virou avô e provavelmente dê uma passada em Seattle para visitar o neto. Com a Catherine com Richard, podem esperar drama chegando aí! E sobre seu arco amoroso, quando perguntado pelo TV Line sobre as chances de reconciliação entre seu personagem e April, essa foi a resposta do ator:

“Há sempre uma chance respondeu o ator. “Isso acontece no dia-a-dia de Jackson e April. Eles podem ter uma conversa educada e adulta e em seguida baterem boca, porque é assim na vida real. Eles carregam suas frustrações e rancores”. Ao mesmo tempo, a atração que sentem não diminui. Assim, eles podem brigar e fazer amor na mesma cena, diz o ator, rindo. “É uma relação muito apaixonada com um passado importante. Se há um futuro para essa relação, ainda é teremos muitos pontos de interrogação.”

◙ Maggie deve pedir colo para seus pais adotivos, ao descobrir sobre o envolvimento Grey e Riggs (Cadê o Richard!?). Pelo Twitter, um seguidor perguntou a atriz se, ao descobrir que sua irmã dormiu com o cara que ela gosta, Maggie ficará com raiva de Alex pelo incentivo à Meredith sobre correr atrás de Nathan Riggs. Kelly McCreary respondeu que é possível rolar um desconforto SIM, e completou:

“Olha, esta é uma situação muito, muito sensível, mais do que tudo pois o ego de Maggie estará ferido. Quaisquer que sejam as pessoas envolvidas, fará com que Maggie se afaste deles por um tempo.”

◙ Ainda sobre este envolvimento, uma possível bomba cairá no Grey Sloan Hospital com a chegada de ninguém mais, ninguém menos que… MEGAN HUNT RIGGS! Calma, não virou uma resenha de “The Walking Dead”! Lembra a mulher de Nathan, irmã de Owen, que subiu num avião e sumiu no mapa? Ela foi dada como morta, porém nunca encontraram o corpo, lembra? Tá aí o porque. Como será que o irmão e o marido(?) receberão “a volta da que não foi”? E a Meredith, será que vai reviver aquele clima INCRÍVEL de quando conheceu a Addison Montgomery (Na época, ainda mulher do Derek)? É aguardar pra ver, mas acho que ela devia pular fora que esse navio é Titanic…;

◙ O relacionamento de Karev e Jo está mais ameaçado do que nunca: Na 9ª temporada, Jo menciona pela primeira vez que teve um relacionamento abusivo no passado. Como se constata, já existia um plano para introduzir seu marido desde a sua aparição como personagem recorrente. A atriz ainda entrega um pouco mais sobre o personagem que promete mexer neste arco amoroso:

“Seu marido é super carismático e todos o amavam. Ao mesmo tempo, ele era extremamente perigoso”

Particularmente, o arco que mais tenho curiosidade é da Arizona sem a Callie ao redor (sabe o término que você não supera? Nenhuma delas terminou comigo mas ainda ouço “Chasing Cars” exorcisando essa separação SIM). Infelizmente, nenhuma novidade sobre o casal mais shipado de todos os tempo subiu a superfície até agora. E a quem tem certeza que Sara Ramirez voltará ao show, um pedido: PARA. Sem chance. Se ela voltar, EU MESMO VOU LÁ BUSCAR A PORRA DA IZZIE!

A 13ª temporada de “Grey’s Anatomy” será exibida 22 de Setembro de 2016 pela ABC.

[MUSICA] Conheça a música inédita de CHRISTINA AGUILERA, “Change”!

Christina Aguilera - Change

“Waiting for a the day when you can be you and I can be me”

Após 4 anos sem material próprio inédito, a cantora Christina Aguilera surpreendeu o público e a crítica na manhã desta sexta (17) ao divulgar a faixa “Change“. Mas se você imagina que é o single que abrirá os trabalhos do novo álbum, pense de novo: a balada, de forte apelo emocional, é uma homenagem para as vítimas do atentado na boate LGBT Pulse, em Orlando. E para pontuar ainda mais a boa ação, toda a renda da canção será revertida para as famílias que perderam entes queridos na fatalidade.

Ouça “Change” clicando no video e acompanhe a tradução logo abaixo:

“Quanto eu era jovem eu olhava no espelho,
Não sabia ali, mas agora não poderia ser mais claro
Eu lembro de estar repleta de felicidade
Antes de aprender que o mundo poderia ser bem duro

Quem você ama ou a cor da sua pele
Ou o lugar em que você nasceu e cresceu
Não deve definir como você vai ser tratado
Porque nós somos todos iguais quando respiramos

Para todas as almas bravas que vieram antes de nós
Se mantenha em pé e, com orgulho, levantem suas vozes
Deixem eles saberem que você são e quais são suas escolhas
E um dia não teremos que cantar este refrão

Esperando por uma mudança que nos liberte
Esperando pelo dia que você poderá ser você e eu poderei ser eu
Esperando a esperança estar por perto
Esperando pelo dia que o ódio irá se perder e o amor será encontrado”

O novo álbum de Christina Aguilera não tem data certa de lançamento, porém sites especializados no segmento preveem que até o Natal os fãs curtirão material novo da jurada do “The Voice“.

[MUSICA] Assista ao novo clipe do ONEREPUBLIC, “Wherever I Go”!

OneRepublic_Whereve_I_Go_Video_Clip_Music

“I know I can lie but I’m telling THE TRUUUUE…”

Após um longo período afastado dos holofotes, os caras do OneRepublic estão de volta! O sucessor do hitmaker “Native” (2013) teve seu primeiro single disponibilizado ao público semana passada e o clipe caiu na rede terça-feira (17), atingindo até o momento quase 1 milhão de visualizações!

Assista abaixo ao novo clipe, “Wherever I Go”:

[SERIES] AMÉM: Confira o trailer da série “O EXORCISTA”!

exorcista_2

Agora você terá um encontro com a Meghan toda semana. /o\

Por essa, ninguém esperava…! O canal norte-americano FOX lançou ontem (16) a promo de uma de suas novas – e aterrorizantes – apostas para a próxima temporada: O Exorcista (sim, é baseado no clássico cinematográfico de 1973)!

Confira a resenha da série, pelas palavras do Cine Pop:

Dirigido por Rupert Wyatt (‘Planeta dos Macacos: A Origem’), ‘O Exorcista’ é um thriller psicológico que acompanha dois padres muito diferentes que cuidam do caso de uma família que sofre de uma possessão demoníaca horrível. O padre Tomas Ortega (Alfonso Herrera, “Sense8”, “The Chosen”) é o novo rosto da Igreja Católica: progressivo, ambicioso e compassivo. Ele mora nos subúrbios de Chicago. Ele não tem ideia de que sua vida tranquila está prestes a mudar para sempre. Enquanto isso, do outro lado do mundo, um outro padre encontra-se trancado em uma luta de vida ou morte com o mal. O padre Marcus Brennan (Ben Daniels, ‘House of Cards’) é um moderno cavaleiro templário, um órfão criado desde a infância pelo Vaticano para fazer a guerra contra seus inimigos. O padre Marcus é tudo que o padre Tomas não é: implacável, abrasivo e totalmente consumido or sua sagrada missão. Eles logo são sugados pelo drama da família Rance, membros da paróquia de Tomas. Na superfície, eles são uma família normal, mas nem tudo é como parece nesta casa. O patriarca, Henry Rance (Alan Ruck) está enlouquecendo aos poucos. A filha mais velha, Katherine (Brianne Howe), tornou-se uma reclusa que se recusa a sair de seu quarto. Sua irmã mais nova, Casey (Hannah Kasulka), acha que ela está ouvindo barulhos estranhos vindos de dentro das paredes. E sua mãe Angela (Geena Davis) tem sido atormentada por pesadelos recorrentes, cada um mais assustador do que o anterior. Angela acredita que há algo na casa, uma presença demoníaca, cada vez mais forte a cada dia. Desesperada, ela implora ao Padre Tomas por ajuda. Separadamente, cada um enfrenta uma tarefa intransponível, mas juntos eles se tornam a única esperança contra uma força maligna que tem mobilizado durante séculos.

E se a história ainda não te convenceu, dá play na promo abaixo deste show que invadirá a telinha no início de 2017:

[SERIES] Série NASHVILLE é cancelada… mas nem tudo está perdido!

É isso mesmo que você leu!

Esta semana, o canal de TV norte americano ABC anunciou o cancelamento de alguns shows de sua grade. Um deles, foi o drama musical Nashville: Em sua atual 4ª temporada, a série que conta as histórias das cantoras country Rayna James e Juliette Barns recebeu a foice do cancelamento, deixando fãs e equipe do show extremamente preocupados, visto que não há um final gravado para a temporada que se encerra 25 de Maio. Além disso, revistas especializadas em seriados anunciaram semanas atrás que esta temporada terminaria com uma “bomba”, justificando a sequência para o ano seguinte do show.

Verdade seja dita: A série amarga audiência decrescente desde seu segundo ano e, mesmo gostando do show e do grande número de participações especiais, eu honestamente acreditava que a emissora manteria a série na grade até ela atingir syndication (uma série atinge este direito de ser exibida em plataformas de streaming após atingir 88 episódios; Curiosamente, Nashville encerrará  trabalhos (até o momento) com 87).

Diante da onda de reclamações online, a Lionsgate (produtora da série) se pronunciou com o seguinte tweet:

Nashville_Lionsgate

Isso significa que talvez a série retorne em outro canal/plataforma para uma temporada de despedida, ao menos. Vale lembrar que isso acontece com frequência e vou usar como exemplo a série The Killing, que foi cancelada em seu canal oficial e teve os direitos comprados pelo Netflix para uma temporada final, para encerrar dignamente o show. Honestamente, acho difícil a série “ser abraçada” devido seu alto custo de produção.

Atualmente, a série é exibida pelo canal ABC (Sony, no Brasil), possui 12 álbuns lançados (com colaborações de Christina Aguilera a Steven Tyler) e grande parte do elenco segue em turnê na América do Norte e Europa.

[SERIES] GREY’S ANATOMY :: 12×01 – “Sledgehammer” [Season Premiere]

Greys_Anatomy_Season_12

O melhor começo de temporada desses 12 anos.

É impossível começar com outra declaração que não essa: A série “Grey’s Anatomy” conseguiu se reinventar novamente, de uma forma como nunca antes vista (e apreciada). Vale lembrar que se você não viu o season finale da 11ª temporada, ENCERRE SUA LEITURA AQUI (Ou prepare-se pra ler os principais spoilers do show). Como vou deixar “o sol pro final do dia”, começo comentando os personagens coadjuvantes da trama:

A corrida para o cargo de novo Chef de Cirurgias do Grey Sloan Hospital chega ao fim neste episódio: On the run, temos a ex-nazi e mãe do Tuck, Miranda Bailey; Do outro, uma PUTA competidora que a mãe do Avery recomendou para concorrer a almejada posição. Ela passa boa parte do episódio sendo um personagem badass que mexe com a auto-confiança de Bailey, esta resgatada nos 45 do 2º tempo graças ao Ben. Ela faz sua apresentação referente ao cargo e, como era de se esperar (eu esperava, ao menos), ela se torna a nova Chef de Cirurgias (amém)!

Resumão de outros personagens: A April volta da guerra e, ao encontrar Avery, fica claro que a coisa não é a mesma e que vem drama por aí com o casal; Arizona se questiona o episódio inteiro pra Edwards por que ninguém quer dividir apartamento com ela, que entrega ser pelo fato de todos acreditarem não estar a altura de viver com alguém tão fo(di)da, até que o novo McDreammy da série chega e topa dividir apartamento com ela por não ser muito popular entre os internos; o Hunt decide que investirá mesmo na Amelia~que era mulher verdade~ e Karev confessa a Jo que sofria bullying no colegial por ser gordinho (ele foi importante assim no episódio).

O caso médico do episódio gira em torno de duas adolescentes atingidas por um trem (SÓ por um trem, coisa leve). A sensibilidade de Callie a faz enxergar que as, até então desconhecidas, na verdade eram namoradas e o então acidente não era exatamente um acidente. A mãe de uma das meninas, que sabia sobre a filha ser lésbica, agendara um acampamento do tipo “sessão descarrego” para a filha ir, no intuito que ela “percebe-se ser hétero”. Desesperada, a menina sugeriu a atitude suicida em conjunto com sua namorada para, enfim, ficarem juntas. Após ouvir a história, Dra. Torres aconselhou a paciente que se matar não resolveria a situação e que essa vibe errada passaria logo, com um desfecho legal para ela. Quando a mãe da menina chega ao hospital, vemos que ela é um dos piores tipos de pessoa que poderíamos encontrar por aí: Preconceituosa, mesquinha e extremamente autoritária, ela “abre” a asa pra cima de Callie após a médica garantir que mandar a filha para um lugar daqueles não seria bom em aspecto algum, dando a entender que já estivera quando mais nova. A mulher dá um barraco e tenta humilhar a médica, que sai com aquele sentimento de “garganta travada”. Mais tarde, ela volta a encontrar Torres e Dra. Pierce e entrega uma das séries que já marca a história do seriado: Na tentativa de humilhar a segunda médica, ela começa a gritar e xingar a profissional que a acerta uma de direita A-NI-MAL! O mais engraçado da série é o fato de que, quando vai enfaixar a mão do soco, os residentes não param de chegar pra parabenizar a médica pela porrada! Hahahahahahaha! Da maneira como foi interpretada a cena, não ficou pastelão em nada (ficou até bem real: Eu daria um abraço em quem socar hater meu por aí #LançadoDesafio ). Ao ir se desculpar pela atitude com a mulher, vemos uma atitude que tardou mas não falhou: O submisso pai d amenina manda a mulher calar a boca, garante que eles não processarão o hospital e ainda garante que caga se a filha é gay ou não, pois está mais interessado na felicidade da garota. Neste momento, a mesma chega da cirurgia e ouve tudo, concluindo o desfecho da história.

Aliás, Maggie foi o grande personagem da season premiere: Não contente em socar mãe de paciente, a médica teve que bancar a “mãe” e fazer suas novas roomates (aKa Meredith e Amelia) voltarem a conversar devido ao rombo na parede da sala que a cunhada fez. No início foi meio besta a treta toda, mas a conversa final foi top e só não superou a atitude de Meredith pegar o martelo e também estourar a parede, estregando a imagem abaixo! Caralho, que série foda.

A primeira cena é daquele centro cirúrgico que vemos desde a primeira temporada, mas a locução já anuncia: Nada será como antes. E de fato, TUDO mudou: Ao menos neste episódio, Meredith passa longe de ser a viúva coitada. A quem temeu o rumo da série com a morte de Derek no último season finale, fica uma certeza: Já passou. A protagonista desponta motivada a provar que, como a saudosa Yang anunciou, “ela é o sol” da porra toda. Minha única dúvida é onde a Zola e o outro bebê foram parar… mas beleza! #PorraShonda

Vale destacar a trilha sonora deste episódio: Rolou basicamente só cover “mela-cueca” de música conhecida (“Wrecking Ball” e “Rude Boy” foram algumas). Eles não poderiam ser mais assertivos e embalar melhor o público que fizeram, foi muito bom de ver e de ouvir este episódio. Por fim, uma certeza: Se a atual temporada mantiver a qualidade geral apresentada nesta premiere, teremos uma GRANDE temporada!

Confira abaixo a promo do segundo episódio da 12ª temporada de “Grey’s Anatomy”:

[SERIES] GREY’S ANATOMY :: 11×01 – “I Must Have Lost It on the Wind”

GreysAnatomy_Cabeçalho1

Procura-se “pessoa”.

O que um show precisa pra durar na telinha norte-americana? Além de trama amarrada, personagens cativantes e reviravoltas em seus plots, a audiência precisa “comprar a brincadeira”, semana após semana. Entretanto, durar 11 anos no ar é um fato realmente impressionante. Não posso mentir que foram 11 anos só de boas histórias mas, no geral, “Grey’s Anatomy” prova ainda ter fôlego para mais algumas temporadas. Sou da opinião de que Meredith e sua trupe deviam ter recolhido seus bisturis a um tempo, pois ainda vemos “muito do mesmo no show” (Ela ter outra irmã fora do casamento, por exemplo). Mas mordi a língua ao duvidar dos roteiristas da Shondaland neste retorno de temporada.

A série retorna no dia seguinte a partida de Yang, apresentando uma “órfã” e impaciente Meredith: Além da partida de “sua pessoa”, ela precisa lidar com a possibilidade do marido mudar pra Washington DC para cuidar do Presidente dos EUA (Seria o Fitz!? Um crossover seria FODA. #Scandal). A médica deixou claro no fim da décima temporada que não acompanharia Derek pois tem sua vida em Seattle e não abrirá mão disso (Fato confirmado após Yang soltar um dos já icônicos diálogos da série: “Você é o sol, não ele”). Achei tão sem noção quão cômico ela aparecer na casa do Alex de madrugada pra ter aqueles papos que levava com Christina. Aliás, ela pedir pro Karev ser sua pessoa foi de cair o cú da bunda! Seguindo a linha de raciocínio da série, NÃO SE PEDE pra alguém ser sua pessoa… Ela se torna e pronto, acabou! Espero, sinceramente, que ele escorregue no quiabo pra ela se ligar que a pessoa dela tem que ser o Sheppard ou a Yang mesmo. A audiência já sabe que ela vai precisar de apoio pois está prestes a descobrir que a substituta de Christina, além de ser pessoa que mais odeia no hospital, é sua irmã! MAIS UMA! #MaternidadeShondaland

Um dos casais mais queridos da série voltou ensaiando uma treta esta temporada: Callie e Arizona conversam sobre a possibilidade de adotarem uma barriga de aluguel, mas a primeira fica insegura com a possibilidade de colocar seu próximo filho nas mãos (No caso, barriga) de outra pessoa. Quando finalmente engole a ideia, Arizona declara a vontade de voltar a estudar num programa foda pra sua carreira, meio que inviabilizando a possibilidade de uma criança pra tão cedo. A insatisfação de Torres é evidente e esse tema movimentará a história das médicas durante a temporada. #AlwaysATreta

Apesar de não estar mais no seriado, a presença de Yang foi constante durante a quase 1 hora de exibição do seriado: Seja lembrada pela falta de apoio recente de Meredith, seja pela tristeza do Owen (Os caras chamando eles pra sair saiu “incômodo” como deveria ser. Deixem o cara em paz.) ou até mesmo pela guerra que travou entre Karev e Bailey, ao passar sua parte do hospital para seu parceiro de residência. Verdade é que os roteiristas não parecem preocupados em apagar uma de suas maiores crias tão cedo. E estão certos! Parar de citar a Christina seria um tiro no pé, bem evitado. Acredito que esta temporada ainda trará fortemente o nome da médica até sua metade, mais ou menos. A menos que role uma tragédia ou algo assim. De qualquer forma, o episódio voltou com fôlego e finalizou com Derek afirmando a Meredith que abriu mão do emprego com o Presidente por escolher ela e a família. A decisão desceu quadrada pra todo mundo (Ele mesmo, Meredith, eu e você) e descobriremos nos próximos episódios o preço de sua decisão. Mas o episódio esteve bem satisfatório!

OBS.1: No caso do cara com câncer, seria de socar a cara na parede se a Shonda matasse a namorada dele. Ainda bem que ela não cortou cabeças logo no primeiro episódio. Se bem que, vindo de um show dela…

OBS.2: A Edwards perdida o episódio inteiro, sem noção ao certo de nada. Depois que o plot dela com o Avery foi pro brejo, a personagem perdeu utilidade pra qualquer núcleo. Tragédia nela!

OBS.3: O Richard dizer que tem uma filha na reunião do A.A. que a irmã de Derek está. Como lidar? Ele cagou 3kg e correu pra pedir segredo, mas fez vista grossa quando ela ia contar o dela. O que a Sheppard esconde?

OBS.4: April e Avery, o sonífero de “Grey’s Anatomy”. Não engulo os personagens e/ou o casal. Podem ir na leva da Edwards também que tá tudo certo!

OBS.5: Sobre a discussão de Grey e Pierce no centro cirúrgico, a primeira percebeu que a segunda não é tão passional assim. E foi um esporro merecido, a Meredith tratou a nova médica como bosta o dia todo…

OBS.6: O que foi o japonesinho dizendo que já sentia saudade do pai, recém falecido? Interpretou melhor que a April em 3 temporadas.

Confira abaixo a promo do segundo episódio da 11ª temporada de “Grey’s Anatomy”:

[youtube:”https://www.youtube.com/watch?v=XrhPS1YlhFU”%5D

[SERIES] NASHVILLE :: 3×01 – “That’s Me Without You”

Nashville_Cabeçalho1

Encontros, desencontros e um baby boom.

A terceira temporada de “Nashville” começou no rabicho do season finale, inconclusiva. Comecemos por Rayna e seus dois pedidos de casamento: Após ter a mão pedida em cima do palco por Luke, Deacon chega junto no backstage e também pede a mão da cantora. Até aí, sem novidades… mesmo depois de ver o episódio de retorno! A protagonista opta por escolher Luke mas todo mundo sabe que ela vai terminar com o Deacon e, como a temporada acabou de começar, não faz sentido ela juntar as botas com o guitarrista problemático agora. Pensando estrategicamente, a carreira (Lê-se gravadora) dela tem tudo pra aparecer relevantemente aos olhos do público após a união matrimonial das duas maiores estrelas country da história (É tipo Blake Shelton e Miranda Lambert, para um exemplo real). Fato é que ela tá mais perdida que caixa inexperiente em Black Friday e, provavelmente, meterá os pés pelas mãos com Wheeler.

A história de Juliette sim deu uma mexida: Ainda na fossa por Avery ter descoberto que ela deu pro dono da antiga gravadora, a cantora implora pelo perdão do baixista que, com razão, manda a mina a merda. Ela tem tipo um colapso nervoso após participar de uma audição para interpretar um filme musical sobre a vida da cantora Patsy Cline, onde dá umas tesouradas no cabelo. Até aí old Juliette, mas a bomba chega na última cena: O médico que chega para examiná-la diz não poder receitar medicação forte pelo fato da cantora estar grávida. A dúvida que paira é: Quem é o pai da criança? Avery? O dono da gravadora? O playboy dono das estações de rádio? Enquanto aguardamos, fica aqui registrado que essa saída pra personagem serve como uma luva pra atriz, que realmente engravidou! Barrigão real na telinha nos próximos capítulos.

Aquela viagem da Scarlet com o Avery e o Gunnar colou aí? Porque não colou aqui. A cantora não ter superado a “pane” que deu no palco e por isso decidir voltar para sua terra até faz sentido (Apesar de covarde), mas o Avery decidir ir junto por estar puto com Juliette (E de porre) e Gunnar ir por “não cogitar abrir a porta do carro” foi demais pra qualquer cristão… Ele dizer que a namorada dele levou na boa foi mais descabido ainda (Pra quem não lembra, Zoey era melhor amiga de Scarlet, também ex-namorada de Gunnar). O plot só foi válido pelo tombo do Avery e a fuga do bar, pq de resto ó, uma bosta! No fim, Scarlet decide voltar pra Nashville pois lá está sua família de verdade. As vezes os roteirista do seriado pesam a mão na melação e, honestamente, esta foi uma delas.

Finalizo com uma pergunta: Por que o “casal” Will e Layla ainda está no show? No fim da temporada, o cara esquece completamente que sua casa está cheia de cameras devido ao reality show e abre pra então noiva que é gay. O atual episódio traz uma Layla puta da vida por ter sido enganada e um Will perdidasso! Quando eles decidem encerrar o contrato com a produção do reality, BOO-YA, a produtora saca a declaração de Will e sugere sua publicação caso a dupla fuja ao roteiro do “casal feliz” interpretado até o momento. Sabe o que essa dupla precisa? De uma tragédia a lá “Grey’s Anatomy”, onde a galera simplesmente morre sem mais nem menos e a produção só abate da folha de pagamento. Sinceramente, esse lenga-lenga vai estender e não acho que o  plot rende muito mais, dado a mão que os roteiristas pesam a cada episódio do drama.

OBS: Achei interessante a participação da dupla Florida Georgia Line no show do Bluebird. Não conhecia a música e achei bem foda! O próximo episódio traz a participação de Luke Bryan.

Confira abaixo a promo do segundo episódio de “Nashville”:

[SERIES] NASHVILLE :: 2×01/02 – “I Fall To Pieces” e “Never No More”

Nashville

Demorou mas chegou!

2×01 – “I Fall To Pieces”

O segundo ano do “dram-usical” (Is that a word!?) veio com a repercussão do acidente de Rayna James e Deacon Clayborn: Apesar de passar a premiere inteira num coma “vagabundo” de fingido, a veterana country sai dessa visando mudar de vida e deixar todos acúmulos do passado pra trás. Enquanto isso, o mais novo ex-namorado da praça passou um tempo na prisão e bancou o rebelde até mesmo com a sonsa da Scarlet, garantindo que ele causou o acidente de Rayna e que merece pagar por isso. Ao acordar, a cantora o inocenta das acusações e ele é libertado. Encerrando a premiere, Juliette vê a possibilidade do lançamento de seu novo álbum ir pelo ralo dada a devoção dos “James fãs” (Hoje eu tô impossível!), que fazem a coletânea de Rayna “reinar” (HÁ!) nas vendas. Como cada chance é uma oportunidade, Juliette decide juntar-se a eles e compra um CD da Rayna faz um show na porta do hospital da acidentada, com direito a homenagem e o que tem direito. Agora, pensem comigo: Se você tá lá capengando no hospital, qual é a ÚLTIMA coisa que você vai querer durante sua estadia? Um show de quem você detesta talvez esteja no seu TOP5! Se fosse no mundo real, quantos processos a porra do hospital não teria tomado, hein? Podia endereçar tudo pra casa de Barns que, pelo visto, ela garantiria na boa.

Agora falando da parte “coadjuvante” da história, Scarlet comemora a última noite como bartender do Bluebird com uma festinha pros mais chegados. Após recusar o pedido de casamento de Gunnar, o clima entre os dois não vai bem mas isso não impede que o cara apareça no bar e seja uma vez mais esculachado pela, agora, ex. Em contra partida, a sobrinha de Deacon dá cada vez mais bandeira para o fdp do Avery, que de uns tempos pra cá vem se apresentando como “brother da Barns” e “novo Gunnar da temporada”. A minha opinião é que o Gunnar perdeu Scarlet por causa do surto que sofreu com a morte de seu irmão, e talvez ela até tenha razão ao recusar casar com o cara de pronto, mas daí a terminar com ele e sinalizar a favor do ex que só rebaixou ela enquanto pôde… Pera lá! Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Errar uma vez é humano e passível, agora a segunda já é pra esfregar a cabeça do nego em grade de ferro num dia de sol! Ela deveria seguir a atual filosofia da protagonista e tentar a sorte com outro cara também (Que não o Will, fique claro: Se ela for traída por outro cara COM outro cara, os roteiristas vão “tá de lero” com a nossa cara…).

2×02 – “Never No More”

No jogo de Juliette, perder não é uma opção.

Um fator curioso sobre a jovem cantora do seriado é o fato dela não ter limites para se punir em pró de uma conquista. Após conversar com o novo dono da gravadora Edgehill e escutar que “o novo rumo de sua carreira não é interessante para a gravadora” e que ela deveria “voltar a escrever canções adolescentes”, Barns estipula a si mesma que esta não é uma opção que pretende seguir. Após muito pensar, chega a conclusão de que uma maneira de aproximar seu público é mostrando-se vulnerável. Daí, decide gravar um especial intimista para CMT mostrando o lugar pobre onde nasceu e foi criada. É difícil saber quando os sentimentos da vocalista realmente vem a tona, como por exemplo naquele encontro com uma antiga vizinha com cara da Roberta Miranda loira: Fui até o fim da cena esperando alguém gritar “corta” e a mulher entregar ter atuado o encontro. Quando Barns pede pra cortar após receber a colcha (Feia que só o diabo) e se emociona, você vê a máscara da personagem parar nos pés da pedante cantora. E, de repente, em todo lugar que ela olhe está o Avery pra dar uma de “brother da Barns” sem querer nada em troca (Mas sabemos que com o Avery NUNCA é assim).  Na noite que o especial é exibido (Aliás, parece que ele foi gravado, editado e exibido no mesmo dia… Só fodem com a minha profissão!), o novo single de Juliette vai ao topo do iTunes e a cantora fica atiçada pra esfregar a novidade na cara do novo chefe da Edgehill, numa festa que ele apresentará os novos artistas da gravadora como uma cantora tirada de um reality show (“Segundo lugar”, Barns enfatiza) de derruba o trono da loirinha em 15 minutos e o recém-roubado da gravado de Rayna, Will-mão-frouxa. Acredito que agora a batalha Bars/James terá uma trégua para que tenha início a Barns/ex-XFator. É esperar pra ver!

Enquanto Barns tenta fazer de seu novo álbum um sucesso, Rayna acredita ter entrado numa boa fase após o acidente, ao ser exaltada pelo novo dono da gravadora que garantiu não fazer nada por suas costas e lhe garantir total apoio. Mas esse “acordo de cavalheiros” não dura nem 40 minutos (HÁ!²) quando vai atrás de Will e pede que ele assine um contrato direto com a Edgehill e deixe reina na… merda (Não tem palavra melhor). Com isso, ela precisa correr atrás uma nova voz para substituir a vaga deixada pelo cara. Só eu pensei que este substituto poderia ser o Gunnar? Fora o DRAMALHÃO FULLTHROTLE que ele a Scarlet serem os únicos contratados pode trazer pra história… Finalizando o episódio pra Rayna, ela conversa com Deacon e Teddy sobre como sua relação com ambos ficará e mantém a postura do episódio passado: TCHAU! Encerra o namoro com Deacon e sugere que Teddy volte pra sua vida sem ela, saindo de sua casa quando puder. É bom ver isso acontecer, mas não sei pq não levo fé que isso vá durar… Vi a promo do terceiro episódio do terceiro episódio e dei de cara com  o Liam. PorRayna: Como isso é virar a página?

RESUMÃO NASHVILLE: Deacon se encontra com a mão lesionada e no auge da rebeldia colocando a venda todas suas guitarras, com exceção da que ganhou de Barns. Após ir a força com Scarlet a médica, ele descobre que fisioterapia é o caminho para obter 80% de sua mão de volta. Inconformado, decide desistir e se contenta em ser um coitado até Scarlet receber um espírito dizer poucas e boas sobre o quão deplorável é a situação atual do cara; Gunnar sai do bloqueio criativo e escreve uma das melhores músicas da série agora, em homenagem a seu irmão. Fica implícito que o porque dele ter saido dessa foi o possível interesse na amiga de Scarlet. Adivinhem: MAIS DRAMA POR AÍ! E para encerrar, Will descobre que um cara costumava catar é o assistente do chefe da gravadora. Após tremer na base e ver sua possível posição “cantor comedor” ir pelo ralo, o cara garante a ele que não dirá uma palavra sobre o passado que eles tiveram. É claro que não vai ficar gratuito assim e, ADIVINHEM? Mais drama.

[SERIES] GREY’S ANATOMY :: 9×21/22/23 – “Sleeping Monster”, “Do You Believe in Magic?” e “Readiness is All”

Grey's Anatomy

A incrível história do vírus assassino, do capote que deu em nada e da perneta que pulou a cerca.

Sério: Resumi os três episódios na frase de cima. Mas em respeito a vocês, vou escrever uma resenha decente (Ou menos safada) que só essa frase. Vou começar pela Bailey que foi protagonista deste ciclo triplo: Foi descoberto que três pacientes que ela atendeu no mesmo dia retornaram ao hospital com quadro de grave infecção. O episódio passou inteiro com a audiência culpando a interna “cone”  de passar seu vírus de gripe aos pacientes, mas no fim do mesmo descobre-se por meio de exames que a portadora do vírus era a Bailey mesmo. Na sequência, ela grita com o Richard e lembra que na fase “pudim de pinga” do médica, ela foi a unica que serviu de apoio pra ele e quando ele poderia fazer o mesmo, deixou passar. Na sequência, passa por uma sessão intensiva de perguntas sobre os procedimentos que fez com cada paciente e recebe a posição final do vírus contraído e como poderá curar-se dele. Outros médicos tentam prestar apoio a Miranda, mas ela se fecha num laboratório e não abre a porta pra ninguém. A pessoa que melhor conhece a Bailey no hospital, de longe, é o Richard. Ciente de que deveria falar com ela pra tentar remediar a situação, ele faz melhor e chama o marido dela pra enfrentar com a mulher a barra que tem passado. E é ponto certo! Com o maridão em casa, ela volta a trabalhar mas não a operar devido o trauma de conter algum vestígio viral e matar um quarto paciente. Solução? A BAILEY VIRA ARQUIVISTA DO HOSPITAL! Visto que ela virou um estepe cômico nas últimas temporadas, não sabia dizer de cara se era um revival (Mas não era). Dura um dia pro Richard dar um passa-fora DAQUELES na médica, afirmando que o local estava cheio de arquivistas e com falta de médicos, logo se quisesse voltar ao trabalho que mantinha deveria fazê-lo depressa. Senão, YOU’FIRED! Ligeira que só, ela chama o Ross e encabeça a primeira cirurgia que encontra pela frente. Não vi o series finale ainda, mas espero que esse plot da Bailey tenha acabado aqui.

A Meredith foi foda esses últimos três episódios: Entre convidar os outros pra vê-la cagar durante o parto e tomar partido de Alex pra interna quebra-barraco, ela levou um tombo DAQUELES na escada do hospital e não conseguia nem falar na sequência. Aí você pensa: NEGO, FUDEU! FUDEU, FUDEU! Quando alguém avisa o Derick do tombo, ele sai da operação e vai fazer um ultrassom com a mulher pra ver se o feto já era. Acaba que, no fim das contas, a Meredith é a mais calma da sala de ultrassom (Se liga que A MÉDICA DO ULTRASSOM, que não tem nada a ver com a história, tava na sala também) e eu pergunto: Como que alguém se estabaca na escada por aí, faz cara de queda de avião e poucos minutos depois parece que tá tomando chá em Downton Abbey?? PORRA SHONDA! Aí você acha que os absurdos encerraram e a bolsa da Grey estoura no fim do episódio e o Derick, MÉDICO NEUROCIRURGIÃO RENOMADO, ao invés de pegar uma cadeira de rodas pra mulher, manda ela sentar no sofá! Ah cara, no sofá… Os caras vão lá comer marmita e interna foguenta, não é pra melecar de placenta, cacete! Sifudê, até parece que é dono do hospital… (HÁ! =D)!

A internet vai abaixo com a manchete: Perneta pula a cerca! Outra que não tava previsto pra acontecer também, de boa cara… Tudo acontece quando uma famosa cirurgiã plástica chamada Lauren chega ao Grey Sloan Hospital para tratar de alguns pacientes e, de cara, deixa claro seu interesse pessoal na Arizona. De cara, a médica declara ser casada pra aquietar a aranha da ex-One Three Hill mas de nada adianta. A Lauren trouxe pra Robbins, através de elogios e atenção exagerada, sua auto-estima perdida com sua perna. Por mais que não fosse surpresa que elas se pegassem em alguma hora da história, pensei que ela respeitaria melhor a mulher e resistiria a tentação mais alguns episódios (No mínimo). Foi preciso uma caída de luz pra calça cair também! Hahahahaha! Fãs de Grey’s Anatomy lembram que a Callie já perdoou a Arizona uma vez (Quando ela aceitou o emprego na África). Com certeza essa merda vai feder e as chances do único casal estável dessa merda ir pro ralo é muito grande.

AGORA É A HORA DO BEM BOLADO: O Alex deixou a Jo amarrar a corda no pescoço até… enforcar o negão! ÔLOKO! O cara desceu a mão na interna e ela quase fez o cara andar na direção da luz! De quebra, o cara queria prestar uma queixa contra a Jo e foi convencido pelo Karev a mudar de idéia. Pra finalizar, na hora que o Karev ia pegar a Jo UMA ÁRVORE ATRAVESSOU A JANELA  da casa do cara (Aliás, baita janelão! E OUTRA: Uma árvore daquele naipe quebra janela e não causa nenhum destroço? Porra Shonda, você já foi melhor. Ou pior.); A April foi pedida em casamento pelo paramédico através de um flashmob (Concordo com o Karev: Ela acho alguém tão idiota quanto ela. Se a Shonda não matar, esse casal vai longe no limite da imbecilidade!!); O Owen se apegou a um menino que teve os pais envolvidos num acidente. Ao constatar que a mãe do moleque já era, cogitou a probabilidade de adotar a criança e até levou um papo a lá programas brasileiros de tarde com a Meredith sobre adoção. No fim, o pai do moleque se recuperou e ele ficou puto. CUÉN!; A Brooks é a interna que mais gosto, mas vou desapegar porque já vi ela na promo de um dos seriados que estão pra estrear na mid season (Provável futura vítima de Rhimes).

Confira abaixo a promo do fim dessa 9ª temporada ANIMAL:

[SERIES] NASHVILLE :: 1×17/18 – “My Heart Would Know” e “Take These Chains from My Heart”

Nashville

Sobreviver é a palavra de ordem (Para os personagens e para a série).

A resenha hoje começa por alguém que, apesar dos avisos, fez um grande papel de otária com todos ao redor (Mais uma vez): Juliette Barns. O romance da cantora com o pilantra do Dante, é lógico, terminou mal! Ao não dar ouvidos ao toque de Deacon (Sobre ser manipulada pelo cara), ela encerrou a terapia da mãe com ele e o contratou como empresário. Após Jolene encontrar o fdp catando a “corretora” e reportar a filha, Barns apoio o namorado e mandou internar a mãe de novo. Entretanto, ao primeiro sumiço do cara, Juliette percebeu que os comprimidos que ele acusou Jolene de ter tomado não poderiam ser ingeridos pela mesma dado o fato que ela é alérgica a medicação. Isso somado ao fato que o cara sumiu no mundo (Com a “corretora”) com 500 mil dólares da cantora levam a moçoila perceber a cagada que fez ao confiar no cara e ignorar os avisos da mãe e de Deacon. A história dela caminha para uma reconciliação com a mãe e, quem sabe, ter nela um apoio para seguir com a carreira em frente. Por que não contratar Jolene como empresária?

Definitivamente, a vida de Rayna James é agitada: Após se separar do prefeito de Nashville, embarcou para uma turnê conjunta de Barns em Nova  York e, interrompeu-a ao descobrir que o pai sofreu um ataque cardíaco. De volta a Nashville, percebe a resistência de Lamar sobre sua carreira e levanta bandeira branca, por enquanto. Musicalmente, parabeniza Scarlett pelo contrato enquanto aceita o pedido da cantora para uma nova chance a Gunnar na gravadora. Pessoalmente, aceita viajar com Liam para o México mas dá pra trás no último minuto e aparece na posta do Deacon se declarando. Sobre a relação deles, uma coisa é certa: Eles não podem ver o outro feliz com outra pessoa. O quanto isso incomoda eles é explícito e não tem veterinária ou prefeito da cidade que altere esse panorama. Caso a história encerre nesta temporada, a história da protagonista tá bem encaminhada.

O Gunnar se comportar como um idiota fará Scarlett repensar o namoro, escreve isso… A maneira como ele agiu ao saber que a namorada pediu uma nova chance pra ele na gravadora de Rayna foi digna do Avery! Acho uma merda isso acontecer bem agora que o ex da cantora tá de volta a cidade. Aliás, o que foi ela trocando ideia com ele várias vezes na arena? Não duvido que ela dê um pé no Gunnar pra ganhar do Avery um galho novo na cabeça. O cara já mostrou que não tem caráter e ela “se encantou” pelo fato dele voltar a trabalhar numa função simples (Roadie). O que ela não percebe é que a única coisa que o cara conseguiu foi isso, e não um surto de humildade. Outra cena “What The F*ck!?” foi quando o pegador Will beijou O GUNNAR! Porra, sifudê! Tudo aquilo de mulher dando moral pro cara em tudo que é bar que ele se apresenta e é no Gunnar que ele vai encarnar?? Logo que ele entrou na trama, imaginei que ele daria em cima da Scarlett. Definitivamente, não vejo fundamento nesse plot seguir adiante mas veremos o que os roteiristas preparam para este fim de temporada.

O seriado Nashville ruma ao fim de sua primeira temporada como uma série “legal” de assistir. Digo isso porque a mesma ainda não recebeu sinal verde para uma segunda temporada ou a confirmação de um cancelamento questionável e, num todo, é uma daquelas séries que “não engrenou”. É um show que não arrisca e beira roteiro de novela nacional. O elenco é impecável, a produção musical nem se fala, os cenários e locações são fenomenais e os personagens tem personalidade pra ir muito adiante dos diálogos e situações criadas por seus roteiristas. Caso volte para um novo ano, espero que Nashville venha com gás reforçado pra limar essa sensação de que “tá faltando alguma coisa” deixada pela temporada de estréia.

Confira abaixo a promo do 19° episódio:

[SERIES] NASHVILLE :: 1×15/16 – “When You’re Tired of Breaking Other Hearts” e “I Saw The Light”

Nashville

Ainda há esperança para Nashville.

Com certeza, “instabilidade” é a palavra que define os episódios desse show: Numa semana, uma episódio com uma bomba e um ótimo gancho; Na outra, uma história medíocre em que os personagens rodeiam o próprio rabo como se realmente procurassem por algo. A história caminha para um fim de temporada e não de série, isso é fato. Apesar de ser uma das incertezas da ABC, Nashville tem chances de emplacar uma segunda temporada ao menos, para encorajar a sua menina dos olhos protagonista  Connie Britton. Começo a resenha com ela mesma: O maremoto de paparazzis e mídia barata ao redor de Rayna e sua família não tendem a diminuir e, para encerrar com falsos depoimentos, a cantora vai a um programa tipo o da Ellen DeGeneres falar sobre o que tem passado e divulgar a nova turnê com Juliette que desembarca em Nova York.

Acho legal o seriado enfocar na relação familiar de Rayna com suas filhas em meio a esse turbilhão de informações e mudanças de maneira direta na vida de cada. Suas filhas se espelham em Barns por ela ser um modelo jovem bem-sucedido musicalmente (Assim como muitas, na realidade, tem a Taylor Swift como modelo), mas sua mãe que é macaca velha nessa história sabe que, agora que as filhas terão contato com o ídolo, deve mantê-las mais próximas possível e se tornar, de uma vez por todas, seu ídolo em tempo integral. Para tanto, deixa as meninas subirem no palco num ensaio para cantar o hit “Ho Hey” da banda The Lummineers. O que é de cagar quadrado é que suas filhas mandam MUITO bem na versão e todo mundo no local fica embasbacado. Após dar um susto na mãe por se acidentar num pocket-show de Juliette Barns (Vou falar sobre ele), até que a Maddie “pagou bem” com essa representação pra se orgulhar! Por fim, reina conheceu a nova namorada de Deacon e a “aprovou” contra vontade. É o famoso mimimi, né?

O tempo não anda bom pra Juliette: Após demitir seu empresário, decide fazer um pocket-show num lugar pequeno, mas publica no Twitter que quem quiser colar tá convidado(Como se ela não tivesse milhares de seguidores ativos)! Claro que dá merda: O público se espreme muito no empurra-empurra e alguns fãs (Incluso a filha de Rayna) saem feridos. Uma vez mais, a mídia tripudia em cima do fato e a má fama volta a rondar a reputação da cantora. Entretanto, ela passa por cima e se foca na estréia de sua turnê em NY. Ao participar das reuniões de apoio a mãe alcoolatra, ela começa se “centrar” e segurar as explosões que costumavam ser gratuitas.  Fato disso é uma reunião que ela tem em que apresenta uma Juliette “correta” a equipe de marketing que pretende veicular seu produto à sua imagem. Ela ganha o contrato e dá uns cata no psicólogo da mãe. Não sou vidente mas tá claro que a mãe dela vai dar trabalho na Big Apple, uma vez que a filha e o cara não parecem muito preocupados em vistoriar a mulher a cada hora. Se eu estiver certo, vem mais mídia marrom por aí!

O Deacon foi levar o cachorro que ganhou a veterinária e acabou levando a veterinária pra casa. Pouco tempo se passa e eles embarcam um namorando com direito a inclusão da mesma na viagem pra NY. Lá, ela conhece Rayna e pergunta se ela e o guitarrista já tiveram alguma coisa. Ela descobre o que provavelmente não sabia. A última cena deles é com ela deitada na cama enquanto ele chega do show. Provavelmente não vai dar certo se ela seguir firme na postura que foi apresentada no episódio quinze. Mas se for bundona, vai seguir na cagada e levar chifre a torto e a direito do cara. Em qual vocês apostam?

Num surto de consciência, o bosta do Avery dá um pé na Marilyn e seu produtor mega-fodido e volta a Nashville porque “não fazia mais música que o traduzisse”. Sifudê! No início do seriado ele cansou de reclamar que nada dava certo pra ele e na primeira oportunidade de mudança, jogou tudo pra cima e tentou a sorte com as promessas da quarentona. Agora vem bancar o badass e fingir arrependimento? Sai fora que não cola! Legal foi ver o cara tocando na rua por moedas. tem mais que se foder mesmo! Acho que ele, de alguma forma, vai acabar no show das protagonistas (Não sei como). É esperar pra ver.

Por fim, Scarlett e Gunnar tem uma audição para a nova gravadora de Rayna James e, perturbado pela recente perca do irmão, Gunnar não aparece e a loirinha se apresenta sozinha. Algum tempo depois, ele chega em casa breaco, se desculpa e vai pra cima pra marcar gol. Depois de furnicar, o telefone dela toca com uma novidade: Ela ganhou o contrato como cantora solo! Passasse cerca de um mês e ela não conta ao namorado(?) sobre o telefonema e ele descobre ao pegar o contrato dela no correio. De início, ele age como um cuzão pelo fato de não ser chamado também mas depois entende que a oportunidade que apareceu não deve ser dispensada e apoia Scarlett na assinatura do contrato. No décimo sexto episódio, o Luke de “The OC” entrou na trama como um novo vizinho da dupla que logo de cara se deu bem com Gunnar. Provavelmente, ele vai tentar comer a Scarlett e vai dar merda! Na falta de Julie e Marissa, né?

Confira abaixo a promo do décimo sétimo episódio:

[SERIES] GREY’S ANATOMY :: 9×19/20 – “Can’t Fight This Feeling” e “She’s Killing Me”

Grey's Anatomy

Começo a contrair o vírus “Finalzis di Tempouradis”…

Uma coisa que aprendi nesses quase dez anos de seriado: Nunca esteja preparado. Se tiver, será ainda pior. Durante cada temporada, o show seguiu um fórmula vencedora: Inicar a temporada a partir do gancho da anterior, explorar o tema, manter o nível durante o curso dos episódios e encerrar a temporada com algum fato ou informação bombástica que te faça morder o cotovelo de ansiedade por um próximo episódio que só irá ao ar quase 6 meses depois! Vou guardar um pouco das reclamações pras próximas resenhas, vamos aos episódios: Ambos andaram pareados devido ao caso médico (A explosão de um caminhão de gasolina) e criaram uma ponte boa para o encerramento do segundo. Falando de forma geral, foi legal ver uma vez mais o apoio da Arizona à Torres e seu discurso emocional sobre cartilagem e, como sempre, frustrante ver a April arruinar cada relacionamento que começa (Aliás, ela e o Avery de novo? SÉRIO?). A Jo anda fogueteira com o negão ginecologista e o Karev poucas vezes fez papel tão pateta como nessa relação com sua interna que ele não faz idéia de como começar. O negão tá ganhando e exibindo a mulher na cara do médico: Num mundo real, a mulher sabe da situação e, se tá de boa com isso, o Alex tem mais é que tocar o foda-se e voltar a comer meio hospital.

A história do Derick girou diretamente com a dos internos Ross e Brooks: Após um toque de Richard sobre o neurocirurgião estar apegado demais ao interno Ross, a Brooks aparece pra auxiliá-los num dia de operações. O que acontece é que ela rouba as atenções do professor e gera ciúmes no interno. A ameaça do cara pra ela no bar foi digna de escola, segunda série… Como tudo que vai, volta, Derick percebe que o interno deixa de fazer obrigações que lhe são incubidas para servir o médico e pede pro cara parar e encontrar um campo médico que ele seja realmente bom, já que em Neurocirurgia, ele é #TeamBrooks (E eu também). Só espero que ele não volte pros serviços da April senão ele vai se especializar em porra nenhuma!

Os instintos maternais de Meredith nunca estiveram mais aguçados que nestes episódios: Ao pegar pra si o caso do filho de uma garçonete (Vivida pela protagonista da série “How To live With Your Parents For The Rest Of Your Life” – Nome grande do caralho!) que nega os resultados apresentados pelo hospital por crer que seu filho tem outro tipo de problema, Meredith ganha pontos com o público feminino ao valorizar esse sentimento materno. Ao fazer seu mapeamento genético, descobre que pode vir a desenvolver algum dia na vida Alzheimer, doença que matou sua mãe. É o suficiente pra pirar o cabeção e largar o pé no mimimi da morte! Em conversa com o marido, se atenta ao fato de que Christina não é a melhor pessoa pra ficar com seus filhos caso morra antes da hora pelo fato que a médica não quer filhos. Daí, começa a cogitar incluir as irmãs de Derick no testamento no lugar da amiga.

Pensei e, se tivesse no lugar do casal, colocaria o Owen sem pensar duas vezes. Não só pelo fato dele andar pra cima e pra baixo com o filho do casal que ficou todo fodido no acidente, mas pelo real desejo do cara em ser pai e não poder pela mulher se recusar a condição de mãe. Apesar da Yang ser uma grande pessoa, é inimaginável visualizar a japonesa como mãe de dois pimpolhos! Vou bancar o “Pai Diná” agora e prever que os pais do moleque vão morrer e o Owen vai adotar o moleque. O que será do casal daí pra frente eu não sei, mas não vejo o cara desistindo de seu sonho pela segunda vez!

A temporada não encerrou mas já chega uma bomba ao público: Após alguns pacientes voltarem ao hospital com uma mesma infecção misteriosa, constata-se que todos eles deram entrada anteriormente no local e foram atendidos por Bailey e a interna Murphy. Ao perceber o que está acontecendo, a interna lembra-se que trabalhou gripada aquele dia e, provavelmente, os pacientes foram infeccionados por seu vírus. Ela até abre a real pra Bailey, que fica furiosa. O que não se contava é que, dos três pacientes que entraram no hospital, somente dois passaram pelos cuidados da interna. Logo, que poderia ter passado o vírus aos pacientes foi a Bailey!! A maneira como ela é tratada no fim do episódio me lembrou aquela parte do filme “Monstros S/A” que o SWAT ataca o monstro que anda com uma meia nas costas! Só faltaram rapar a cabeça da Nazi! Hahahaha! Brincadeiras a parte, a season finale girará em torno dos “Quem está infectado?” e “Quem infeccionou geral?”. A primeira acusada é Miranda mas, até onde se sabe, pode ser qualquer um que habita aqueles corredores.

Audiência de Grey’s Anatomy, você já está preocupada? Não preocupada com a renovação da série pois isso é basicamente certo, mas com o season finale desta nona temporada. Já vimos de tudo e, ao que parece, dessa vez será um vírus que foderá com meio hospital! É engraçado ver no vigésimo episódio a Meredith e o Derick ironizando seus mapeamentos genéticos ao dizer que um Alzheimer ou calvície acompanhada de umas biritas são nada perto do que já passaram nos últimos anos. Arrisco dizer que tô preparado pra esse season finale, apesar de querer que ele dure umas 4 horas ao invés de 1. O que me preparou pra ele foi saber que, ano que vem, a preparação será para o fim da série. Nunca encerrei um hábito de tanto tempo e não sei como será minha relação de shows inéditos sem a turma de Seattle. Encerro declarando que dei entrada nesse hospital a nove anos e, mesmo depois que encerrar suas atividades, continuarei a me consultar em seus episódios.

Confira abaixo a promo do vigésimo primeiro episódio:

[SERIES] GREY’S ANATOMY :: 9×17/18 – “Transplant Wasteland” e “Idle Hands”

Grey's Anatomy

Uma mudança mais eficaz que o LODOX.

Começo pedindo desculpas pelo atraso de reviews de “Grey’s Anatomy”, justificando o erro : “Game Of Thrones”. Peguei a série desde a primeira temporada pra assistir e viciei. Não consegui ver mais nada. Pensei em começar escrevendo que “demorei tanto pra voltar a escrever que o hospital até mudou de nome” (O que não seria de todo errado), mas voltei atrás e pensei num subtítulo mais “decente”. Comecemos analisando o impacto da nova direção que o Seattle Grace tomou: Ao ser nomeado novo Chefe do hospital, Avery recebe negatividade por todos os cantos. Ninguém leva fé que o cara possa fazer a diferença pelo lugar e, os novos milionários, se sentem “injustiçados” por correrem contra o tempo para salvar o hospital e no fim das contas perder a gestão para um residente bem mais novo. Entretanto, o cara mostra a que veio e, pouco a pouco, demonstra que o hospital estará seguro enquanto coordenar o local. O ponto alto do décimo sétimo episódio foi, sem dúvida, quando Jackson disse numa reunião com os médicos que eles construiriam um hospital novo, concluindo que até o nome mudaria pra surtir mais efeito simbólico: O Seattle Grace Hospital sai de cena para entrar o Grey Sloan Memorial Hospital, em homenagem a Lexie e Mark mortos no acidente de avião. Por essas e outras surpresas que “Grey’s Anatomy” exprime, episódio a episódio, um tipo de qualidade único e específico em qualquer seriado norte-americano que você assista por aí. Eles acertam em enredo, personagens, trilha-sonora e faz o público perdoar com facilidade até as situações mais ridículas que alguns casos apresentam (A da tiazinha no pole dance e do leão no meio da rua foram foda de engolir… Mas eu superei).

O que é o casal Christina e Owen? Provavelmente, nem eles saibam. O que é certo é que a relação “destrói” a força da personagem na trama. Legal é ver uma Yang badass que causa calafrios nos internos de cada corredor do hospital! Agora essa molenga não dá liga. A atitude mais “Yang” desses últimos episódios foi ela repassar a verba destinada ao estudo de um médico cuzão para o projeto da Bailey, pelo simples motivo do cara ser um baita… cuzão, com ela. Por falar na Bailey, num desses dois episódios ela reclamou pro Richard algo que tem reclamado com certa frequência durante esses quase 10 anos de “Grey’s Anatomy”: Ela sempre se viu ocupando o cargo de Chefe do hospital. Quando se analisa a história dos personagens, é difícil pensar em alguém mais competente de fato pra ocupar o cargo! Torço pra que, até o fim do seriado, essa vontade seja concretizada e a médica recompensada por todo esforço que deu pra manter o local funcionando. Apesar dela ter caído para um núcleo mais cômico com o passar dos anos, o público segue ciente do que esta “velha nazista” é capaz.

Foi engraçado assistir uma Meredith neurótica quanto ao feto. Com certeza ela não assiste “Game Of Thrones” senão, nascer com rabo é a última probabilidade que ela dará ao filho em seu ventre. O “apoio” que o Karev dá pra ela também valeu! Aliás, o Karev anda todo engraçadão nesses últimos episódios. As peças pregadas no ficante da Jo foram boas. O cara só alimentou a rivalidade com Alex ao garantir no fim do episódio que enquanto ele pensa em novas brincadeiras pra constrangir o negão, ele vai comer a médica no banheiro do bar (Comer a Jo no Joe’s? Merecia medalha de trocadilho no Foursquare).

Nesse meio tempo, a April encontrou um paramédico que nunca transou e não é viado (Só em Grey’s Anatomy). Aí mentiu pra ele dizendo que era virgem também mas tá no mó dilema por começar uma relação mentindo. Do jeito que ela é, esse namoro vai terminar antes de começar! E outra: A analogia sexual com parque de diversões serve quando se tem 12 anos. Agora esse bando de marmanjo tratar o kama sutra como looping de montanha-russa foi digno de acelerar pra cena seguinte… April no próximo acidente!

Por fim mas não menos importante, Callie e Arizona continuam na busca de uma maneira que mantenha “a chama de seu relacionamento acesa” (Falei bonito?). A Callie mudou muito por causa da esposa pois, em outros tempos, já teria ciscado em outra horta sem nem repensar atitude! Episódio a episódio, a Arizona se adapta a perna mecânica e Callie, ao novo panorama que sua vida virou. No fim, elas percebem que são elas por elas mesmo. Aliás, alguém aí sabe por onde a filha delas ou do Sheppard? Eles andam tão preocupados que com o hospital que esqueceram do leite ninho da molecada. Não dá. Hahaha!

Confira abaixo a promo do próximo episódio:

[SERIES] NASHVILLE :: 1×13/14 – “There’ll Be No Teardrops Tonight” e “Dear Brother”

Nashville

Entre canções certeiras e personagens de caráter questionável, “Nashville” dá a audiência esperança quanto a uma segunda temporada.

Estes dois episódios deveriam chamar “Rayna Goes WILD” ou algo tipo. Ao descobrir pela filha que levou um par de chifres do marido, a cantora encurrala Teddy pra tirar a história a limpo e contesta a versão de Maddie. É a declaração de um casamento que já acabou a algum tempo. Li alguns colunistas apontarem fortemente o dedo pro, agora, ex-marido dela e achei as acusações bem… feministas (pra não dizer machista. Continua lendo…): O cara traiu a mulher com a Peggy, ok. Mas a mulher também deu suas voltas durante o casamento com o Deacon e o Liam. A única diferença é que o prefeito de Nashville comeu a secretária, porque as insinuações e cantadas rolaram (E foram retribuidas) por ambas as partes. Não dá pra tomar partido. Nesse quesito, os dois estão comprometidos e acabou, não tem melhor nem pior. Isso fica ainda mais evidente depois que a cantora é beijada por Deacon e sobe pro quarto do Liam, tendo uma crise bebassa no banheiro antes do cara “marcar o gol”! Por ser uma pessoa pública, não demora muito a imprensa cair de pau em cima da história vivida por Rayna e Teddy, estampando em suas revistas sensacionalistas matérias com o intuito de queimar o filme da veterana do country. O inesperado apoio do pai à cantora teve pouco apelo e pareceu deslocado diante da relação dos personagens. Aliás, tá aí um personagem que paga de fo*ão mas até agora não alternou rumo nenhum na vida dos personagens (Afinal, o Teddy levou o posto de prefeito por mérito próprio e descartou o cara na primeira oportunidade, chamando seu concorrente Lamar para ocupar o cargo de vice-prefeito da cidade. Well done.). Fica a dúvida: Quantos episódios serão precisos ainda pro casal Rayna/Deacon firmar longe da presença “ameaçadora” de Liam?

Com outros tipos de problema, chega na lanterninha a “concorrente” musical (E pessoal) de James. Atualmente sem empresário, Juliette Barns descobriu que a “nova liberdade” é o que tem procurado a alguns episódios e aproveita o tempo livre pra mandar e desmandar no andamento da turnê. Nesse meio tempo, decide organizar uma festa surpresa pro Deacon. Acredito que esse plot deveria ser o responsável pelo bom nível do episódio, mas acabou por ser um tiro em pé de maratonista! O aniversário ficou perdido pelo episódio, a reação dele com a festa não chegou perto de ser desprezível (Como fora anunciado) e, como toda festa em bar, teve alguém de porre! A bo*ta é que essa pessoa a mãe alcoólica de Barns. Outra história mal amarrada (Mas no caminho de se ajeitar) é essa: Quem, em sã consciência, deixa de participar de uma reunião pra ajudar a mãe que enfrenta uma situação BARRA pra organizar uma festa? Por maior que seja o rancor, alguns fatores devem ser separados e ponto. A história de Jolene parece que melhorará com a aproximação da filha, mas acredito que os roteiristas ainda jogarão situações beirando o ridículo pra ilustrar essa relação que demorou a se resolver.

Uma das coisas que demorou mas aconteceu foi o casal Gunnar e Scarlett: Após passar uma temporada na casa dos dois, o irmão ex-presidiário do cara leva a pior e acaba assassinado debaixo de uma ponte da cidade. Horas antes, Gunnar joga numa ponte a arma que o irmão poderia ter usado pra se defender do ataque. A história é marcada pela cena do cara identificar o corpo do irmão no IML e, ao chegar em casa e contar pra Scarlett o ocorrido, ganhou um beijo e um “vem cá minha nêga” que o episódio não exibiu. Sabe aquele ditado “precisou morrer pra acontecer alguma coisa”? Então. Foi o caso. De antemão vem 0 cu*ão do Avery, que abriu mão dos empresários por acreditar que “não se moldará a indústria para manter a essência”. Só se esquece do fato que quando a mantinha, vivia duro e no rabo de saia da ex. Ele o pai da Rayna poderiam sair do seriado que ó… Não fariam falta. Fora que o cara flertou com a ex do Gunnar (Anos-luz melhor que a Scarlett), antecipando um possível envolvimento. É esperar pra ver.

Confira abaixo a promo do próximo episódio de “Nashville”: